Vítor Alberto Klein's Blog

Cantinho da Sabedoria

Os tres professores

 

“Nesta vida temos três professores importantes: o ‘Momento Feliz’, o ‘Momento Triste’ e o ‘Momento Difícil’.

O ‘Momento Feliz’ mostra o que não precisamos mudar.
O ‘Momento Triste’ mostra o que precisamos mudar.
O ‘Momento Difícil’ mostra que somos capazes de superar.”

Os obstáculos te mantém forte.
As mágoas te mantém humano.
Os choques te mantém humilde
.

———–

América, canto de um povo.

Olhamos o mesmo sol,

O mesmo céu,

A mesma lua, filhos da terra que é Pai

E que é mãe de todas as criaturas.

Sintonia com a natureza, perante o grande

Altar de Deus.

 

Eu vivia brincando, caçando,

Amando, gerando na pura nudez da vida.

A terra era meu culto, eu não tinha lucro.

Eu era mãe terra,

Mãe-terra era eu.

Mas eis que o fio de espada

Extinguiu, ceifou a tantos

E quantos meus.

 

A outros fez escravos, excluídos,

Cerceados. História, memória que não morreu.

Eu sou América, sou o povo da terra.

Sou apache, asteca, sou maia, sou inca

Aimoré, ianomâmi, Carajás, tupi-guarani.

E o meu canto é de todos os povos.

Povos que cantam a esperança de uma nova

Terra sem males, sem guerra,

Projetos de Deus.

 

Pois acredito nessa fé que vem do coração;

Na resistência daqueles que tecem o fio

Do caminho que leva ao amor.

 

Por  Waldemir R. Fernandes

——–

RAZÃO DE VIVER 

Publicado em setembro 25, 2008 por Vanderlei
Nós estudamos os universos e seus mundos, indagamos se há vida em outros planetas, viajamos milhares de kilômetros até chegarmos no nosso vizinho mais próximo, e assim, sucessivamente, em busca da vida. Tudo isso para provar que somos o único planeta habitável no universo. Deus, nosso Pai, teria errado na formação das galáxias ?  Estudamos as rotas dos planetas e seus satélites e vemos que existe uma força e uma consciência a comandar este mecanismo universal, então chegamos a conclusão que Deus é sua criação, não entendemos muito bem, mas sabemos da sua existência. Voltando ao nosso dia-a-dia, construímos casas, carros, aviões e tantos outros objetos de consumo para o nosso bem estar. Promovemos discursos, festas e diversões para a nossa família e sociedade, mas uma hora, no tempo da vida, paramos e observamos um vazio dentro de nós, queremos algo mais, faltamos a fé em algo que não sabemos o que é a razão de viver, estamos sem rumo e objetivos. Este vazio, meus queridos irmãos, é porque não paramos para olhar dentro de nós mesmos e ver a maravilha do nosso corpo, a beleza dos nossos olhos, a grandeza dos nossos ouvidos, o som maravilhoso da voz que nos leva a comunicarmos com os nossos semelhantes, o sabor que sentimos pelos alimentos em que a mente divina elaborou, as nossas mãos pequenas a realizar tão grandes obras, o dom da fertilidade a seguir a frente a nossa sociedade, então vemos o quanto Deus é sábio em sua criação, e nós estávamos indo tão longe para conhecê-lo, sendo que ele está tão perto e não sentimos a sua presença a se manifestar por nós mesmos na grandiosidade de sua criação. Foi por isso que o nosso amado mestre nos disse que poderíamos ser Deus, porque ele está em nós, em nossa volta, no ar, nas águas, nos mares, no mineral, vegetal e animal, mostrando a todo o momento que somos vossa semelhança, parte de sua criação.
(Mensagens de Luz)

——

OS NÍVEIS DO SER HUMANO – J. TRUFFI

Há alguns anos, um buscador aproximou-se de um Mestre da Arte Real (um verdadeiro Místico) e perguntou-lhe:
– Mestre, gostaria muito de saber por que razão os seres humanos guerreiam-se e por que não conseguem entender-se, por mais que apregoem estar buscando a Paz e o entendimento, por mais que apregoem o Amor e por mais que afirmem abominar o Ódio?
– Essa é uma pergunta muito séria. Gerações e gerações a têm feito e não conseguiram uma resposta satisfatória, por não se darem conta de que tudo é uma questão de nível evolutivo. A grande maioria da Humanidade do planeta Terra está vivendo atualmente no nível 1. Muitos outros, no nível 2 e alguns outros no nível 3. Essa é a grande maioria. Alguns poucos já conseguiram atingir o nível 4, pouquíssimos o nível 5, raríssimos o nível 6 e somente de mil em mil anos aparece algum que atingiu o nível 7.
– Mas, Mestre, que níveis são esses?
– Não adiantaria nada explicá-los, pois além de não entender, também, logo em seguida, você os esqueceria e esqueceria também a explicação. Assim, prefiro levá-lo numa viagem mental, para realizar uma série de experimentos e aí, então, tenho certeza, você vivenciará e saberá exatamente o que são esses níveis, cada um deles, nos seus mínimos detalhes.
Colocou, então, as pontas de dois dedos na testa do consulente e, imediatamente, ambos estavam em um outro local, em outra dimensão do Espaço e do Tempo. O local era uma espécie de bosque, e um homem se aproximava deles.
Ao chegar mais perto, disse-lhe o Mestre:
– Dê-lhe um tapa no rosto.
– Mas por quê? Ele não me fez nada…
– Faz parte do experimento. Dê-lhe um tapa, não muito forte, mas dê-lhe um tapa!
E o homem aproximou-se mais do Mestre e do consulente. Este, então, chegou até o homem, pediu-lhe que parasse e, sem nenhum aviso, deu-lhe um tapa que estalou.
Imediatamente, como se fosse feito de mola, o desconhecido revidou com uma saraivada de socos e o consulente foi ao chão, por causa do inesperado do ataque. Instantaneamente, como num passe de mágica, o Mestre e o consulente já estavam em outro lugar, muito semelhante ao primeiro e outro homem se aproximava. O Mestre, então comentou:
– Agora, você já sabe como reage um homem do nível 1. Não pensa. Age mecanicamente. Revida sem pensar. Aprendeu a agir dessa maneira e esse aprendizado é tudo para ele, é o que norteia sua vida, é sua “muleta”.
Agora, você testará da mesma maneira, o nosso companheiro que vem aí, do nível 2. Quando o homem se aproximou, o consulente pediu que parasse e lhe deu um tapa. O homem ficou assustado, olhou para o consulente, mediu-o de cima a baixo e, sem dizer nada, revidou com um tapa, um pouco mais forte. Instantaneamente, já estavam em outro lugar muito semelhante ao primeiro.
– Agora, você já sabe como reage um homem do nível 2: pensa um pouco, analisa superficialmente a situação, verifica se está à altura do adversário e aí, então, revida.
Se ele julgar-se mais fraco, não revidará imediatamente, pois irá revidar à traição. Ainda é carregado pelo mesmo tipo de “muleta” usada pelo homem do nível 1. Só que analisa um pouco mais as coisas e fatos da vida. Entendeu?
Repita o mesmo com esse aí que vem chegando, o nível 3. A cena repetiu-se. Ao receber o tapa, o homem parou, olhou para o consulente e assim falou:
– O que é isso, moço? Mereço uma explicação, não acha? Se não me explicar direitinho por que razão me bateu, vai levar uma surra! Estou falando sério!
– Eu e o Mestre estamos realizando uma série de experimentos e este experimento consta exatamente em fazer o que fiz, ou seja, bater nas pessoas para ver como reagem.
– E querem ver como reajo?
– Sim. Exatamente isso… – e perguntou o buscador – como você vai reagir? Vai revidar? Ou vai nos ensinar uma outra maneira de conseguir aprender o que desejamos?
– Já nem sei se continuo discutindo com vocês, pois acho que estou perdendo meu tempo. São dois malucos e tenho coisas mais importantes para fazer do que ficar conversando com dois malucos. Que outro, em algum outro lugar, revide por mim. Não vou nem perder meu tempo com vocês, pois não merecem meu esforço… São uns perfeitos idiotas… E ainda querem me convencer de que estão buscando conhecimento. Picaretas! Isso é o que vocês são! Uns picaretas! Uns charlatões!
Imediatamente, aquela cena apagou-se e já se encontravam em outro luar, muito semelhante a todos os outros. Então, o Mestre comentou:
– Agora, você já sabe como age o homem do nível 3: gosta de analisar a situação, discutir os pormenores, criticar tudo, mas não apresenta nenhuma solução ou alternativa, pois ainda usa as mesmas “muletas” que os outros dois anteriores também usavam.
Prefere deixar tudo pra lá, pois não tem tempo para se aborrecer com a ação, que prefere deixar para os outros.
É um erudito e teórico que fala muito, mas que age muito pouco e não apresenta nenhuma solução para nenhum problema, a não ser a mais óbvia e assim mesmo, olhe lá… É um medíocre enfatuado, cheio de erudição, que se julga o “Dono da Verdade”, que se acha muito “entendido” e que reclama de tudo e só sabe criticar.
É o mais perigoso de todos, pois costuma deter cargos de comando, por ser, geralmente, portador de algum diploma universitário em nível de bacharel (mais uma outra “muleta”) e se pavoneia por isso. Possui instrução e muita erudição.
Já consegue ter um pouquinho mais de percepção das coisas, mas é somente isso.
Vamos, agora, saber como reage um homem do nível 4. Faça o mesmo com esse que aí vem.
E a cena repetiu-se. O caminhante olhou para o buscador e perguntou:
– Por que você fez isso? Eu fiz alguma coisa errada? Ofendi você de alguma maneira? Enfim, gostaria de saber por que motivo você me bateu. Posso saber?
– Não é nada pessoal. Eu e o Mestre estamos realizando um experimento para aprender qual será a reação das pessoas diante de uma agressão imotivada.
– Pelo visto, já realizaram este experimento com outras pessoas. Já devem ter aprendido muito a respeito de como reagem os seres humanos, não é mesmo?
– É… Estamos aprendendo um bocado. Qual será sua reação? O que pensa de nosso experimento? Tem alguma sugestão melhor?
– Hoje, vocês me ensinaram uma nova lição e estou muito satisfeito com isso e só tenho a agradecer por me haverem escolhido para participar deste seu experimento. Apenas acho que vocês estão correndo o risco de encontrar alguém que não consiga entender o que estão fazendo e revidar à agressão. Mas também se não corrermos algum risco na vida, nada jamais poderá ser conseguido, em termos de evolução.
O Mestre assim comentou:
– O homem do nível 4 já está bem distanciado e se desligando gradativamente dos afazeres mundanos. Já sabe que existem outros níveis mais baixos e outros mais elevados, e está buscando apenas aprender mais e mais para evoluir, para tornar-se um sábio.
Não é, em absoluto um erudito (embora até mesmo possa possuir algum diploma universitário) e já compreende bem a natureza humana para fazer julgamentos sensatos e lógicos. Por outro lado, possui uma curiosidade muito grande e uma insaciável sede de conhecimentos. E isso acontece porque abandonou suas “muletas” há muito pouco tempo, talvez há um mês ou dois.
Mas vamos continuar com o nosso aprendizado. Repita o mesmo com este homem que aí vem, e vamos ver como reage um homem do nível 5. O tapa estalou.
– Filho meu… Eu bem o mereci por não haver logo percebido que estavas necessitando de ajuda. Em que te posso ser útil?
– Não entendi… Afinal, dei-lhe um tapa. Não vai reagir?
– Na verdade, cada agressão é um pedido de ajuda. Em que te posso ajudar, filho meu?
– Estamos dando tapas nas pessoas que passam, para conhecermos suas reações. Não é nada pessoal…
– Então, é nisso que te posso ajudar? Ajudar-te-ei com muita satisfação pedindo-te perdão por não haver logo percebido que desejas aprender. É meritória tua ação, pois o saber é a coisa mais importante que um ser humano pode adquirir. Somente por meio do saber é que o homem se eleva. E se estás querendo aprender, só tenho elogios a te oferecer.
Logo aprenderás a lição mais importante que é a de ajudar desinteressadamente as pessoas, assim como estou a fazer com vocês, neste momento.
Instantaneamente, a cena se desfez e logo se viram em outro caminho, um pouco mais agradável do que os demais, e o Mestre assim se expressou:
– Quando um homem atinge o nível 5, começa a entender que a Humanidade, em geral, digamos, o homem comum, é como uma espécie de adolescente que ainda não conseguiu sequer se encontrar e, por esse motivo, como todo e qualquer bom adolescente, é muito inseguro e, devido a essa insegurança, não sabe como pedir ajuda e agride a todos para chamar atenção e pedir, então, de maneira velada e indireta, a ajuda de que necessita.
O homem do nível 5 possui a sincera vontade de ajudar e de auxiliar a todos desinteressadamente, sem visar vantagens pessoais.
Agora, dê um tapa nesse homem que aí vem.
E o buscador iniciou o ritual. Pediu ao homem que parasse e lançou a mão ao seu rosto. Jamais entendera como o outro, com um movimento quase instantâneo, desviou-se e a sua mão atingiu apenas o vazio.
– Meu filho querido! Por que você queria ferir-se a si mesmo? Ainda não aprendeu que agredindo os outros você estará agredindo a si mesmo? Você ainda não conseguiu entender que a Humanidade é um organismo único e que cada um de nós é apenas uma pequena célula desse imenso organismo?
Seria você capaz de provocar, deliberadamente, em seu corpo, um ferimento que vai doer muito e cuja cicatrização orgânica e psíquica vai demorar e causará muito sofrimento inútil?
Instantaneamente, tudo se desfez e se viram em outro ambiente, ainda mais lindo e repousante do que este último em que estiveram. Então o Mestre falou:
– Este é um dos níveis mais elevados a que pode chegar o ser humano em sua senda evolutiva, ainda na Matéria, no Planeta Terra. Um homem que conseguiu entender o que é o Amor, já é um Homem Sublime, Inefável e quase Inatingível pelas infelicidades humanas, pois já descobriu o Começo da Verdade, mas ainda não a conhece em toda sua Plenitude, o que só acontecerá quando atingir o nível 7. Logo você descobrirá isso.
Dê um tapa nesse homem que aí vem chegando. Vamos ver como reage o homem do nível 7.
E o buscador pediu ao homem que parasse. Quando seus olhares se cruzaram, uma espécie de choque elétrico percorreu-lhe todo o corpo e uma sensação mesclada de amor, compaixão, amizade desinteressada, compreensão, de profundo conhecimento de tudo que se relaciona à vida e um enorme sentimento de extrema segurança encheram-lhe todo o seu ser.
– Bata nele! – ordenou o Mestre.
– Não posso, Mestre, não posso…
– Bata nele! Faça um grande esforço, mas terá que bater nele! Nosso aprendizado só estará completo se você bater nele! Faça um grande esforço e bata! Vamos! Agora!
– Não, Mestre. Sua simples presença já é suficiente para que eu consiga compreender a futilidade de lhe dar um tapa. Prefiro dar um tapa em mim mesmo. Nele, porém, jamais!
– Bate-me – disse o Homem com muita firmeza e suavidade – pois só assim aprenderás tua lição e saberás finalmente, porque ainda existem guerras na Humanidade.
– Não posso… Não posso… Não tem o menor sentido fazer isso…- Então – tornou o Homem – já aprendeste tua lição. Quem, dentre todos em quem bateste, a ensinou para ti? Reflete um pouco e me responde.
– Acho que foram os três primeiros, do nível 1 ao nível 3. Os outros apenas a ilustraram e a complementaram. Agora, compreendo o quão atrasados eles estão e o quanto ainda terão que caminhar na senda evolutiva para entender esse fato. Sinto por eles uma compaixão muito profunda. Estão de “muletas” e não sabem disso. E o pior de tudo é que não conseguem perceber que é até muito simples e muito fácil abandoná-las e que, no preciso instante em que as abandonarem, começarão a progredir. Era essa a lição que eu deveria aprender?
– Sim, filho meu. Essa é apenas uma das muitas facetas do Verdadeiro Aprendizado. Ainda terás muito que aprender, mas já aprendeste a primeira e a maior de todas as lições. Existe a Ignorância! – volveu o Homem com suavidade e convicção
– Mas ainda existem outras coisas mais que deves ter aprendido. O que foi?
– Aprendi, também, que é meu dever ensiná-los para que entendam que a vida está muito além daquilo que eles julgam ser muito importante – as suas “muletas” – e também sua busca inútil e desenfreada por sexo, status social, riquezas e poder.
– A Humanidade ainda é uma criança, mal acabou de nascer, mal acabou de aprender que pode caminhar por conta própria, sem engatinhar, sem precisar usar “muletas”. O grande erro é que nós queremos fazer tudo às pressas e medir tudo pela duração de nossas vidas individuais. O importante é que compreendamos que o tempo deve ser contado em termos cósmicos, universais. Se assim o fizermos, começaremos, então, a entender que o Universo é um organismo imenso, ainda relativamente novo e que também está fazendo seu aprendizado por intermédio de nós seres vivos conscientes e inteligentes que habitamos planetas disseminados por todo o Espaço Cósmico.
Nossa vida individual só terá importância, mesmo, se conseguirmos entender e vivenciar este conhecimento, esta grande Verdade: “somos todos uma imensa equipe energética atuando nos mais diversos níveis energéticos daquilo que é conhecido como Vida e Universo, que, no final das contas, é tudo a mesma coisa”.
– Mas sendo assim, para eu aprender tudo de que necessito para poder ensinar aos meus irmãos, precisarei de muito mais que uma vida. Ser-me-ão concedidas mais outras vidas, além desta que agora estou vivendo?
– Mas ainda não conseguiste vislumbrar que só existe uma única Vida e tu já a estás vivendo há milhões e milhões de anos e ainda a viverás por mais outros tantos milhões, nos mais diversos níveis? Tu já foste energia pura, átomo, molécula, vírus, bactéria, enfim, todos os seres que já apareceram na escala biológica. E tu ainda és tudo isso. Compreende, filho meu, nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.
– Mas mesmo assim, então, não terei tempo, neste momento atual de minha manifestação no Universo, de aprender tudo o que é necessário ensinar aos meus irmãos que ainda se encontram nos níveis 1, 2 e 3.
– E quem o terá jamais, algum dia? Mas isso não tem a menor importância, pois tu já estás a ensinar o que aprendeste, nesta breve jornada mental. Já aprendeste que existem 7 níveis evolutivos possíveis aos seres humanos, aqui, agora, neste Planeta Terra.
O Autor deste conto conseguiu transmiti-lo, há alguns milênios, através da Tradição Oral, durante muitas e muitas gerações.
Compreendes, agora, que não será necessário mais do que uma única vida como um ser humano, neste Planeta Terra, para que aprendas tudo e que possas transmitir esse conhecimento a todos os seres humanos, nos próximos milênios vindouros?
É só uma questão de tempo, não concordas, filho meu?
Tu e todos os demais que estão transmitindo esse conhecimento já cumpriram as suas partes.
Que os outros, os que dele estão tomando conhecimento, cumpram as suas. Para isso são livres e possuem o discernimento e o livre-arbítrio suficientes para fazer suas escolhas e nada tens com isso.
Entendeste, filho meu?
J.Truffi
——

Lembrem-se que o verdadeiro mestre se encontra dentro do nosso coração.

Evitem o apego e a entrega a elementos externos.

Busquemos- O em nossa interioridade.

—–

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao seu final….

Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos. Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.
Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu….
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.
Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.
As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora…
Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.
Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração… e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar.

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.
Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”.
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!
Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é. Torna-te uma pessoa melhor e assegura-te de que sabes bem quem és tu próprio, antes de conheceres alguém e de esperares que ele veja quem tu és..
E lembra-te :
Tudo o que chega, chega sempre por alguma razão
(Fernando Pessoa)

—–

Reflexões

“Mantenha seus pensamentos positivos, porque seus pensamentos tornam-se suas palavras.
Mantenha suas palavras positivas, porque suas palavras tornam-se suas atitudes.
Mantenha suas atitudes positivas, porque suas atitudes tornam-se seus hábitos.
Mantenha seus hábitos positivos, porque seus hábitos tornam-se seus valores.
Mantenha seus valores positivos, porque seus valores …
Tornam-se seu destino.”

(Mahatma Gandhi)

—-

1. “O pior naufrágio é daquele que não saiu do porto”
2. “Só a vida vivida para os outros vale a pena ser vivida”
3. “De tropeços , vitórias e quedas se constrói a experiência”
4. “Acima do homem que salta, há o homem que voa”
5. “Dói fracassar, mais doloroso ainda é nunca tentar acertar”
6. “Uma pessoa fechada jamais abrirá seus horizontes”
7. “Onde existe fé, sempre brilha a esperança”
8. “Os ventos e as ondas estão sempre do lado dos navegadores mais competentes”
9. “O rio atinge seus objetivos, porque aprendeu a contornar obstáculos”
10. “É muito bom ser importante, mas importante mesmo é ser Bom
11. “Creia naquele que tentou”
12.”Todo homem tem um vazio do tamanho de Deus”
13.”Dentro de cada pessoa existe uma grande sede de felicidade e propósito de vida”
14.”É fácil estar sentado observando, o que é difícil é levantar-se e agir”
15. Freqüentemente , a melhor maneira de vencer é esquecer de registrar os resultados”
16. “nem sempre convém virarmos a página, pôr vezes é preciso rasgá-la”
17.”há coisas que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida”
18.”é quando fugimos que estamos mais sujeitos a tropeçar”
19.”tente ser mais simpático do que o necessário”
20.”é muito melhor Ter esperanças que não Ter”
21. “as pessoas querem aprender a nadar e Ter um pé no chão ao mesmo tempo”
22.”até agora as coisas aconteceram a você, desta data em diante faça com que você aconteça as coisas”.

——

Um Grande Homem

O grande homem é silenciosamente bom.

É genial, mas não exibe gênio.

É poderoso, mas não ostenta poder.

Socorre a todos sem precipitação.

É puro, mas não vocifera contra os impuros.

Adora o que é sagrado, mas sem fanatismo.

Carrega fardos pesados com leveza e sem gemido.

Domina, mas sem insolência.

É humilde, mas sem servilismo.

Fala a grandes distâncias, mas sem gritar.

Ama sem se oferecer.

Faz bem a todos antes que se perceba.

Rasga caminhos novos sem esmagar ninguém.

Abre largos espaços sem arrombar portas.

Entra no coração humano sem saber como.

O grande homem é como o Sol :
assaz poderoso para sustentar um sistema planetário
e assaz delicado para beijar uma pétala de flor.

Assim é
e assim age o homem verdadeiramente grande
porque é Instrumento nas Mãos de Deus.

Huberto Rohden – ” De Alma Para Alma “

—–

Como você avalia sua vida até agora?

Por  Caio Cesar Santos 27/02/2010   http://decidaserfeliz.com

Eu fico me perguntando por que, normalmente, temos que chegar até o fundo do poço para criar uma grande mudança em nossas vidas. Enquanto tudo está dentro da nossa zona de conforto, enquanto nosso castelo de cartas está de pé é raro nos questionarmos se estamos no caminho certo para nossa evolução espiritual.

Sem nenhum aspecto religioso, acredito que estamos neste mundo para evoluir, reconhecer que fazemos parte da mesma essência, trabalhar em time de forma cooperativa e utilizar os avanços da humanidade em prol da raça humana e da sustentabilidade do planeta. Afinal, estamos todos nesta nave espacial chamada Planeta Terra.

Mas, parece que é mais fácil tapar o sol com a peneira do que desenvolver habilidades para enfrentar nosso egoísmo, medos e limitações para nos tornarmos pessoas melhores. Realmente, se tornar uma pessoa melhor dá trabalho! Precisamos desenvolver compaixão, ter responsabilidade pelas nossas escolhas e pela nossa vida e estar a serviço dos outros seres sem tentar se aproveitar com segundas intenções. Mas o caminho para chegar lá é uma experiência tão maravilhosa que conseguimos viver nossas vidas com plenitude e autenticidade.

Provavelmente foi isso que Gandhi quis dizer com: “não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o próprio caminho”. Você precisa ser feliz neste exato momento, aqui e agora! O resto é uma ilusão.

Se você unir a sabedoria para um desenvolvimento espiritual com o que já está fazendo no mundo para criar riqueza material terá grandes chances de ser uma pessoa extremamente feliz e plena na vida. Afinal, o que você está esperando para começar a construir esse caminho?

Tenho conversado com pessoas de várias idades e de várias classes sociais sobre isto e a resposta é uníssona: “Não é a hora de buscar isto!”: sou jovem demais, velho demais, preciso gerar dinheiro para sobreviver, tenho um filho para cuidar, tenho uma mãe que depende de mim, meus netos acabaram de nascer, a empresa é minha vida, meu trabalho consome todo meu tempo, não tenho saúde, estou me sentindo bem do jeito que está etc

Eu tenho 34 anos e passou rápido como um flash. Mais dois flashes e eu estou fora do jogo (pelo menos neste nível de existência que conhecemos). Então, decidi fazer desta experiência única que é a vida algo que valha a pena. Enfrentar meus medos e limitações, seguir algo que descobri como um propósito de vida e ajudar as pessoas a serem mais conscientes e felizes para que ajudem a criar um mundo melhor. E, sim! Acredito que a prosperidade, inclusive a financeira, virá como recompensa por uma trabalho feito com interesse genuíno e de valor para as pessoas.

Gostaria de compartilhar esta música chamada “Epitáfio” (Titãs) e pedir que você preste atenção na letra como se você estivesse escrevendo um tributo sincero a sua vida até agora.

http://www.youtube.com/watch?v=L3eiOMQVUqs&feature=player_embedded

Eu decidi que vou escrever um epitáfio diferente! E você? O que você quer realizar neste mundo antes de partir?

——————————————-

Quando decidimos superar, a vida nos dá as ferramentas: caminhos novos, oportunidades novas, idéias novas…
Superar é tornar-se maior que a situação! É acreditar em si mesmo (a) ainda que outros não acreditem.
Tudo isso nos tira da conhecida ‘zona de conforto’ e nos remete à nossa força interior.

Desejo a cada um (a) durante sua existência na Terra: Fé,  Amor, Coragem e Superação constantes!
Antes de reclamar da situação procure a superação.

—————————–

Por falar de Amor…  Fonte: STUM

Sim, este é o tema de hoje… confesso que não me sinto à altura para tratar de algo tão vasto, completo e maravilhoso, mas espero que quem me colocou nesta empreitada não me abandone e me intua de acordo com a nobreza do tema…
Creio que cada ser humano tenha uma resposta, uma quantidade enorme de conceitos sobre o significado desta singela palavra. Dependerá muito de suas experiências de vida, de suas crenças e julgamentos… mas este texto não é um concurso para chegar à resposta correta, portanto, falarei somente aquilo que sinto, esperando que ao menos ajude alguém que esteja lendo estas linhas.

Existem dias que, por uma razão ou outra, começam conturbados, pesados. Para quem vive na frente do computador, uma quantidade grande de e-mails, dificuldade de conexão… problemas maiores ou menores, que de repente estamos atraindo, começam a atacar aquele sereno estado de espírito que nos acompanhava ao despertar e neste momento esquecemos, ao menos por um tempo, de nossa verdadeira natureza, da capacidade que temos de permanecer ou retornar àquele estado de graça.
Afastamo-nos de nosso centro, nossa vibração baixa, nossa sintonia se perde e o barulho incessante, aquele da mente racional que vive de contar horas e minutos, que cobra resultados práticos e ação pontual, bruscamente prevalece sobre a força da harmonia, da paz e do silêncio interior.
Sim, é quando viramos as costas para nosso coração, este precioso e frequentemente esquecido companheiro, a chama que ilumina o caminho, o lugar sagrado onde Deus habita e onde, definitivamente, reina o Amor…
Bom… pelo menos sabemos onde ele mora! E já percebemos como, em dois tempos, somos capazes de nos afastar dele também.

Se é fácil sair do centro, da serenidade, parece claro também, que é muito simples, visto que sabemos o caminho, reencontrá-lo… basta querer. Trata-se apenas de um ato de vontade. É bom respirar profundamente, fechar os olhos, visualizar a chama da vida acesa no peito a iluminar nosso ser e tudo em volta. O que fazer para permanecer em sintonia constante com esta harmonia que acolhe, ampara, conforta e protege?

Talvez seja preciso observar mais, sentir mais.
Focar no que é esplêndido, pedindo para ser visto, apreciado, contemplado e que está presente ao nosso redor… e ir muito além das aparências e daquilo que nos foi ensinado… olhar com os olhos puros a beleza que está na natureza, num broto que se transforma numa linda e perfumada flor, num casulo despretensioso que se torna uma perfeita e belíssima borboleta ou numa minúscula parte de nós que, num ato de amor, transforma-se numa jornada de incrível perfeição e majestade, num milagre que dá vida a um ser humano de divina linhagem… É necessário notar a doação do Universo -do qual somos cocriadores- e sua abundância infinita… Todas as energias específicas para nossa caminhada, os elementos essenciais, estão sempre e gratuitamente disponíveis, garantindo-nos uma variedade de experiências a perder de vista, na terra, no ar, na água, no mundo impalpável dos sonhos e das outras dimensões…
Sim, é imprescindível sentir, captar também o que é invisível aos olhos, mas que o coração consegue nos trazer de forma cada vez mais clara, em função do despertar de nossa consciência, da transformação que se deu durante a intensa caminhada por este extraordinário planeta azul.

Amigos, o amor, esta doação que nada cobra, que está em tudo, nos convida a sermos nós próprios o amor em ação; sugere-nos que deixemos de lado o egoísmo, a cobiça, a posse, a separatividade, o ódio e que passemos a viver todos aqueles sentimentos que emanam da Fonte, todas as formas de ser, de agir que nosso coração sugere, quando conseguimos, no silencio interior, ouvi-lo.
E o presente -que é a vida- desabrocha em seu ritmo, ora vagarosamente, ora de forma arrasadora, levando-nos a vôos e jornadas que fazem nosso caminhar valer a pena. E, ao descobrirmos finalmente, após tantas experiências pessoais e percepções mil, nada menos que somos a morada da Divindade, estaremos em condição de irradiar Luz, paz e sabedoria… pois nos tornaremos mestres do Amor, da cura, da bem-aventurança.

É fundamental mergulhar fundo no Amor Incondicional. Façamos dele o inseparável companheiro de jornada. Precisamos incorporá-lo em nossos pensamentos, atitudes, atos e utilizá-lo como Guia, como conselheiro, como parte de nós, pois de fato somos manifestação da presença dele. Quando isso ocorrer, não mais ficaremos prisioneiros do mundo da matéria e de suas ilusões. E não terá mais volta. A mudança será firme e definitiva, a harmonia será a tônica de nossa caminhada; a simplicidade, a humildade verdadeira e a compaixão formarão um apoio estável para o nosso desenvolvimento.
A vibração da Unidade abraçará aos poucos todos os corações e mentes que ainda estiverem adormecidos, medrosos, ou inseguros talvez.
Quando este amor reinar, com certeza a Terra se transformará num verdadeiro Paraíso.

Confesso que tenho esperança de poder ver isso acontecer… sinto que estão em marcha transformações profundas, contínuas, positivas, mesmo que pouco disso venha a ser divulgado pelas mídias principais do globo.
É um movimento amplo, pouco visível mas profundo, pois para muitos ainda se trata de uma benfazeja semente escondida no coração, prestes a germinar, a tomar corpo e forma e a se juntar às outras que, neste instante, preparam-se também para o grande despertar.

Perceba as suaves batidas do seu coração, converse com ele no silêncio de seu quarto, ouça sua voz interior… espero, desejo, torço para que V. tenha muita fé, confiança, coragem e determinação.

Sinta… e seja V. o próprio Amor.
Namastê – o Deus que habita em mim saúda o Deus que mora em Você.

—–

A necessidade do trabalho

(Redação do Momento Espírita)
 

Tudo no Universo é dinamismo e labor.

Os mundos giram incessantemente pelo espaço infinito, em grandiosas jornadas.

As estações do ano mantêm a Terra em processo de constante e viva metamorfose.

As espécies animais e vegetais estão em contínuo aprimoramento.

A organização e o progresso surgem das alterações incessantes.

No âmbito dos seres irracionais, o aprimoramento ocorre de forma automática.

Os imperativos da natureza fazem com que apenas os espécimes mais hábeis e adaptáveis vivam o bastante para assegurar sua reprodução.

Desse modo, a melhor herança genética é transmitida aos futuros seres.

Na faixa da Humanidade, o processo evolutivo é mais sofisticado.

O homem não é guiado apenas pelo instinto de forma automática.

Ele dispõe da razão para orientá-lo.

E sua evolução não possui como aspecto primordial as alterações do organismo físico.

Embora vinculado a um corpo, o homem possui de mais importante a sua natureza espiritual.

Malgrado os corpos se sucedam ao longo das reencarnações, o Espírito que os anima mantém suas conquistas.

As experiências na Terra visam ao burilamento intelecto-moral.

As fadigas necessárias à manutenção da vida física têm por objeto viabilizar essa evolução.

O homem possui muito forte o instinto de conservação da vida.

Para preservá-la, ele se afadiga em inúmeras tarefas.

Essas tarefas, desenvolvidas com a finalidade de obter bem-estar e segurança, fazem-no superar-se a cada dia.

No ambiente profissional, a gentileza é imperativa.

Ninguém pode se dar ao luxo de espantar clientes e maltratar colegas e superiores.

Também é necessário ser pontual, vestir-se adequadamente, falar com correção.

A concorrência torna necessário o contínuo aperfeiçoamento dos próprios talentos e habilidades.

Vagarosamente a criatura desenvolve disciplina, tolerância, amor ao estudo e bons modos.

Caso não necessitasse trabalhar a fim de manter-se, o homem permaneceria um bruto.

Tudo se encadeia com perfeição nos planos divinos.

A Humanidade é uma fase, após a qual vem a Angelitude.

No concerto cósmico, não há favores ou privilégios.

Cada qual é responsável por seu destino e pelos caminhos que trilha.

Mas para sempre, e em qualquer condição, haverá trabalho para ser feito.

Os próprios anjos laboram na manutenção da ordem cósmica.

Trabalhar não é um castigo, conforme o vagabundo o qualifica.

Ócio e estagnação são sinais de doença e de morte.

Valorize suas tarefas.

Realize-as com amor, mesmo por entre dificuldades.

Se você se sente bem apenas no final de semana, esforce-se por mudar esse modo doentio de perceber o mundo.

O seu trabalho corresponde a uma genuína bênção em seu favor.

Se ele lhe exige paciência, renúncias e esforços, não se rebele.

São exatamente as suas áreas de dificuldade que estão sendo trabalhadas.

Enquanto você não enfrentar e superar suas deficiências evolutivas, elas continuarão presentes em sua vida.

Após vencê-las, você estará pronto para experiências mais sublimes.

Pense nisso.

——

AUTOPOIESE  INTRAPESSOAL

Por Vladimir Dimitrov e Robert Ebsary

O que é autopoiese intrapessoal
Humberto Maturana e Francisco Varela introduziram a idéia de autopoiese como uma forma de organização sistêmica, na qual os sistemas produzem e substituem seus próprios componentes, numa contínua articulação com o meio. Os sistemas autopoiéticos são autocatalíticos, isto é, não apenas estabelecem, mas também mantêm uma fronteira peculiar com o mundo circundante — fronteira essa que simultaneamente os separa do meio ambiente e o conecta com ele. Os seres humanos são exemplos de sistemas autopoiéticos — eles se reproduzem numa co-evolução incessante com o meio: as pessoas respondem, (ou seja, reagem, adaptam-se) às mudanças do ambiente e este responde (reage, “adapta-se”) à intervenção humana.

Cada indivíduo tem características que refletem sua estrutura interna peculiar. Essa estrutura está aberta às mudanças: inevitavelmente evoluímos, no curso de nossas vidas. Como as pessoas dividem entre si o que experimentam e o que sabem (ou pensam que sabem) acerca de si mesmas e do mundo, muitas semelhanças se originam das maneiras pelas quais elas vêem, interpretam e entendem os fenômenos vitais. Mesmo assim, cada indivíduo expressa seu self como uma personalidade única, desde a infância até a velhice. Em todo ato físico, emocional, mental ou espiritual, o self de cada indivíduo reproduz a si próprio, mantendo uma fronteira peculiar com o mundo circundante e “evoluindo” em harmonia com ele. A reprodução e evolução do self de cada indivíduo, em conexão vital com o seu meio ambiente, é o que chamamos de autopoiese intrapessoal.

O self individual
Segundo as antigas escrituras védicas, o self é o gênio fundamental e supremo da natureza, que espelha a sabedoria do cosmos. Esse gênio está dentro de cada um de nós, como parte de nosso esquema interno, e não pode ser apagado.Uma definição científica do self pode basear-se na semiótica: o self individual surge como uma escolha conceitualizada de indicadores que traduzem, para usar uma boa analogia, a sensação que temos de estar “em casa” com nossos sentimentos e pensamentos. Por meio do estudo dessa escolha, e relacionando-a às condições espaciais e temporais sob as quais ela foi feita, o indivíduo pode buscar a sua identidade e autenticidade.

A busca da identidade e da autenticidade conduz a um ícone, que representa um signo do self de cada um. Esse ícone evolui com o correr do tempo. Entender o que ele significa a cada instante constitui a essência do autoconhecimento — o processo central da autopoiese intrapessoal.

Autoconhecimento
Trata-se de um processo que inclui três vertentes:

  1. Conhecimento do ideal (CDI), que busca respostas para a questão: “Que espécie de personalidade ideal eu gostaria de desenvolver (nutrir, fazer crescer, concretizar) em mim mesmo?”
  2. Conhecimento dos obstáculos no caminho para o ideal (COI). Aqui, o objetivo é responder à pergunta: “Que tipo de obstáculos (externos ou internos) me impedem de alcançar (desenvolver, concretizar) o meu ideal?
  3. Conhecimento da energia individual (CEI). Esse conhecimento procura respostas para a indagação: “Como posso ampliar e utilizar melhor o meu potencial (poder, força de vontade, determinação) para lidar com (ou superar) os obstáculos que há no caminho para o meu ideal?

Como as três gunas (termo sânscrito para designar as qualidades fundamentais da natureza humana, descritas na antiga filosofia iogue de Patanjali), as três vertentes do autoconhecimento jamais estão em equilíbrio: elas mudam sempre, de modo que a cada momento uma delas prevalece. Se predomina o conhecimento do ideal (CDI), estamos com freqüência num estado contemplativo ou onírico — seja gerando ativamente idéias, planos, visões e cenários de futuro, seja imaginando passivamente que estamos em algum estado ou condição ideal. Caso predomine o conhecimento dos obstáculos no caminho para o ideal (COI), é possível que nos sintamos deprimidos: podemos estar cônscios do quão difícil seria alcançar o estado ideal (tal como o vemos em nosso sonhos, planos e visões) e de quanto esforço, conhecimento e vigilância seriam necessários para mantê-lo. Na situação em que prevalece o conhecimento da energia individual(CEI) estamos em geral num ânimo ativo e criador — agimos na direção de pôr em práticas as nossas idéias, planos e sonhos.

Como de costume, as três vertentes acima interagem mutuamente por meio de vários ciclos de feedbackpositivo e negativo. O caminho mais promissor para a auto-realização e o crescimento pessoal parece ser o feedback positivo entre o CDI e o CEI. A imagem do ideal estimula as ações humanas e estas o tornam mais real, próximo e alcançável. Um círculo de feedback negativo entre o CEI e o COI parece agir contra a auto-realização e o crescimento individual. Quanto menos ativos estamos, mais obstáculos surgem no caminho para os nossos ideais e vice-versa.

As vertentes de autoconhecimento e seus modelos interativos emergem da conexão estrutural com o meio ambiente, onde ocorre a experiência humana. A esse meio damos o nome de espaço experiencial humano. Ele proporciona o contexto no qual a autopoiese intrapessoal se manifesta.

O espaço experiencial humano
Examinemos as principais características desse domínio.

O espaço experiencial humano é caótico, porque:

  1. Não podemos prever quais os padrões de experiência que vão surgir em nossas vidas, nem mesmo a curtíssimo prazo;
  2. Mudanças mínimas nas narrativas que fazemos a nosso respeito, e sobre o mundo em que vivemos, podem provocar alterações dramáticas em nossa experiência cotidiana;
  3. Modos de comportamento aparentemente simples e rotineiros podem levar a modelos experienciais extremamente complicados.

O espaço experiencial humano é multidimensional, porque:

  1. Um número quase infinito de fatores inter-relacionados, “internos e externos”, contribui para a nossa dinâmica experiencial;
  2. Forças auto-organizadoras emergem da turbulência dessa dinâmica e são responsáveis pela evolução humana.

O espaço experiencial humano não obedece à linearidade do tempo:

  1. Tanto o passado quanto o futuro se encontram nos modelos experienciais do tempo presente;
  2. A natureza de um evento experiencial reflete diretamente a percepção humana num determinado instante.

Atratores estranhos (ou atratores caóticos) surgem e desaparecem no espaço experiencial humano:

  1. A vida humana se bifurca de um atrator para outro;
  2. Os atratores de nossa experiência sensorial são estruturas dissipativas, isto é, vão diminuindo e se dissipando à medida que convergem para o atrator final, que é a morte física.

A experiência humana tem uma tendência a se fixar num atrator estranho específico do espaço experiencial humano:

  1. Com muita freqüência este atrator é aquisitivo, orientado para o ganho — ligado à busca do bem-estar material (ou da fama, do poder, do prazer, do conhecimentos etc.);
  2. A força auto-organizadora que emerge desse tipo de atrator mantém sempre a mesma direção — no caso, para a aquisição cada vez maior (de dinheiro fama, prazer, conhecimento etc.);
  3. Com a dissipação (retração, diminuição) do poder do atrator, a intensidade de sua força auto-organizadora diminui.

Dois fatores — inspiração e intenção — desempenham um papel crucial nos processos de autoconhecimento e são indispensáveis para as manifestações externas e internas da autopoiese intrapessoal.

Inspiração
A inspiração proporciona energia ao espaço experiencial humano e prolonga a vida dos atratores que ali pulsam. Ela pode também fornecer a energia necessária para um salto súbito (de um atrator para outro). O impacto crucial da inspiração implica que ela pode provocar a emergência de novos atratores e, assim, constitui um poderoso estimulador da criatividade humana.

Como a criatividade, a inspiração ocorre espontaneamente em nosso espaço experiencial. Sabemos que buscar inspiração ou pretender ser espontâneo é algo que não funciona na prática. Pelo contrário, iniciativas como essas criam obstáculos à deflagração do flash inspirador. Entretanto, há muitos catalisadores poderosos da inspiração, sejam eles externos (belos cenários, personalidades marcantes, música, quadros, leituras etc.), ou internos (realizações individuais, força de vontade, experiências amorosas, fé, esperança etc.). Diferentes catalisadores podem ter efeitos inspiradores diversos em diferentes indivíduos.

A dinâmica de qualquer atrator orientado para os ganhos materiais no espaço experiencial humano (mesmo os ligados à acumulação do conhecimento) pode ser reforçada, mas nunca inspirada. A fixação a um determinado atrator não pode ser inspirada. Quando se tenta reforçá-la, em geral o resultado é a exaustão desse atrator. No entanto, um ato de genuína inspiração pode ajudar uma pessoa a resistir às forças de algum atrator prejudicial ao corpo e à mente, e assim livrá-la de fixações excessivas. (Os Alcoólicos Anônimos são um exemplo de inspiração espiritual, que ajuda as pessoas a lidar com o poder prejudicial do alcoolismo). Qualquer esforço espiritual genuíno necessita de um lampejo de inspiração, do contrário perde em sinceridade e fenece rapidamente.

A inspiração é necessária para proporcionar energia à procura da identidade e da autenticidade, que por sua vez são importantes para a busca auto-realização, iluminação e sabedoria. Não se trata de um fenômeno “logocêntrico”, isto é, ela não se baseia em nenhum sistema logicamente consistente de pensamento, que proclama sua legitimidade amparando-se em proposições externas e universalmente válidas. Fundamenta-se, ao contrário, em lógicas humanas e auto-constituídas, que são circulares, auto-referenciadas e portanto paradoxais.

Por ser estimuladora da criatividade, a inspiração precisa ser intermitente (descontínua) em termos de causalidade: as cadeias causa-efeito se desfazem diante de sua lucidez. Qualquer análise a posterioride como a inspiração funciona possivelmente revelará relações de similaridade geométrica entre trajetórias experienciais, e não ligações de coerência entre causas físicas. Portanto, os mecanismos geométricos parecem ser adequados para “mapear” (localizar) eventos inspiradores no âmbito das dinâmicas experienciais.

Intenção
Em contraste com a inspiração, a intenção é um fenômeno logocêntrico, ou seja, baseado em um sistema logicamente consistente de pensamento. O pensamento lógico, a análise causa-efeito e a acumulação de conhecimentos teóricos e práticos nos ajudam a determinar nossas metas, propósitos e objetivos, e a escolher as abordagens por meio das quais eles podem ser alcançados. A intenção orienta os fluxos de energia no espaço experiencial humano. A força de vontade individual é diretamente responsável pela manutenção da intencionalidade humana. Sem ela (e sem todos os demais esforços físicos e mentais dela emanados) a energia da inspiração se dissolve irreversivelmente.

A inspiração faz nascer novos atratores no espaço da experiência humana, mas é a intenção que escolhe para onde deve se orientar a nossa atividade. A mera geração de muitos atratores, sem que sejam desenvolvidos esforços suficientes para assimilar suas finalidades e entender a sua natureza, pode ser muito destrutiva. Na antiga fábula, o jumento morre de fome porque é incapaz de escolher entre duas fontes atraentes de alimento. Na fábula do nosso tempo, a humanidade está matando o seu meio ambiente (e portanto a si própria), porque é incapaz de entender a natureza perigosa de muitos dos atratores criados pelo pensamento linear atualmente dominante, e também porque está fortemente orientada (de forma exaustiva e competitiva) para o ganho e a acumulação de bens materiais, prestígio e prazer.

A compreensão dos atratores que atuam no espaço experiencial humano requer um certo esforço. Entretanto, antes disso é necessária a intenção de estarmos atentos ao que acontece em nossas vidas. Em sua maior parte, os eventos da vida humana são extremamente sutis e ligados às delicadas esferas dos mundos mental, emocional ou espiritual de nossa individualidade. Para poder sentir e entender o que acontece nesses domínios, precisamos de extrema atenção, vigilância e cuidado. Essas qualidades devem ser intencionalmente descobertas em nosso íntimo e por nós mesmos. Ninguém de fora pode injetá-las em nós, tornar-nos cônscios do que acontece em nosso espaço experiencial interior. Esse espaço é sagrado, e só nós próprios podemos ter acesso a ele — o espaço sagrado interior de um indivíduo é o lugar onde funciona a sua autopoiese intrapessoal.

“Não me siga, siga a você mesmo”
Essa frase famosa é de Nietzsche. Ela se relaciona fortemente com o funcionamento da autopoiese intrapessoal. Significa que o processo autopoiético que se manifesta num determinado indivíduo não pode ser transplantado para o espaço interno de outro. Se você segue os outros em vez de ser você mesmo, perderá rapidamente a sua centelha e deixará de refletir a luz de sua individualidade. Sem esta, não há auto-atenção, crescimento pessoal nem progresso na vida.

Seguir outra pessoa (seja mentalmente, emocionalmente ou espiritualmente) significa copiar, imitar ou identificar-se com o mecanismo de autopoiese intrapessoal do outro e esquecer o seu self real. Essa circunstância pode resultar em conflitos fatais entre o self e a mente (confusão de pensamentos), entre o self e o coração (confusão de sentimentos) e entre o self e o espírito (confusão na busca da identidade). A autopoiese intrapessoal precisa de liberdade para funcionar. A partir do momento em que nos rendemos a algum outro self, nossa liberdade é perdida e nos tornamos incapazes de auto-expressão. A falta de liberdade torna a auto-percepção impossível e resulta na perda de oportunidades individuais para o autoconhecimento, auto-realização e crescimento.

Capacidade de Aprender
A capacidade individual para a aprendizagem é crucial para o estabelecimento, seja ele espontâneo ou intencional, de conexões e interdependência entre os eventos experienciais e seus modelos e processos. Se encararmos os eventos e os processos como fenômenos interconectados, poderemos extrair deles muitos significados e, dessa maneira, utilizá-los como lições pessoais de vida.

Infelizmente, nossa capacidade para apreender o significado de nossas experiências é bastante limitada. Somos capazes de refletir apenas sobre os pontos de mutação globais de nossas vidas, e eles são muito poucos. Há uma infinidade de eventos minúsculos, de difícil percepção, que acontecem incessantemente e influenciam de modo decisivo o nosso modo de viver. É possível aprender a percebê-los? A resposta positiva se relaciona, mais uma vez, com o despertar da percepção.

A percepção humana é infindável. Uma vez aberta, ela se espraia e ajuda a ver mais e mais as coisas que acontecem em nosso cotidiano — mas não a percebê-las como acontecimentos isolados e insignificantes, e sim como constituintes vitais de uma teia integral e dinâmica, que pulsa em cada um de nós e daí se estende a todas as criaturas animadas e inanimadas do Universo.

Nascemos para perceber a nós mesmos. O que precisamos é aprender como fazer emergir essa propriedade inerente, como retirá-la de debaixo das camadas de preconceitos, estereótipos, hábitos e ignorância, que se acumularam durante de anos e anos de obediência cega a instruções alheias, ou no desempenho de atividades nas quais nos comportamos como robôs, no bojo de atratores orientados para ganhos exclusivamente materiais. As técnicas de concentração, contemplação e meditação, especialmente ajustadas à natureza de cada indivíduo, podem ajudar de modo decisivo no aguçamento de nossa capacidade de aprender a partir dos eventos da vida, não importando o quão insignificantes eles pareçam ser.

Conclusão
De todas as experiências que podemos viver, a do nosso self interior é a mais importante. Nossos corpos estão sempre mudando. Nossas mentes, com seus pensamentos, sentimentos e desejos, também vêm e vão. Num caso e no outro, trata-se de experiências fechadas no tempo e no espaço: não devem ser confundidas com as pessoas que as experimentam.

D. Chopra observa que “aquele que passa por uma experiência está além do tempo e do espaço. Representa o fator atemporal que há em toda experiência limitada pelo tempo. É ele quem que sente o que está por trás dos sentimentos, quem pensa os pensamentos, quem anima os nossos corpos e mentes”. Ele é o nosso self. Sua reprodução e evolução constitui um entrelaçamento indissolúvel com o Universo e está no centro da autopoiese intrapessoal, cujo entendimento equivale ao entendimento de nós mesmos — e essa é a mais elevada das compreensões.

Nota
1. Um atrator é um centro para onde determinadas energias são atraídas. Por exemplo, a aquisição de dinheiro, poder e bens materiais é o atrator para onde se dirige grande parte das energias da nossa cultura. Os atratores são estruturas importantes na teoria dos fractais. Este termo vem do latim fractus, que significa irregular e fragmentado. Os fractais são figuras representativas da geometria do caos e mostram que nele há também uma ordem. Num fractal, cada parte reproduz com exatidão todas as características da totalidade. Os sistemas dinâmicos (os seres vivos, por exemplo) podem assumir comportamentos incertos e caóticos, que os físicos e matemáticos representam graficamente por meio de fractais — os chamados “atratores estranhos” ou “atratores caóticos”.

Referências bibliográficas
MATURANA, H. and VARELA, F., 1987. The Tree of Knowledge. Boston: Shambala.
LUHMANN, N., 1990. Essays on Self-Reference. New York.
McNEIL, D. and DIMITROV., 1998. Topology of Uncertainty, in Fuzzy System Design: Social and Engineering Applications, Ed. L.Reznik and V. Dimitrov, Heidelberg: Physica Verlag.
CHOPRA, D., 1994. Journey into Healing. New York: Harmony Books.

(Março, 2000)

VLADIMIR DIMITROVé pesquisador do Centre for Systemic Development da University of Western Sidney – Awkesbury, Austrália. O co-autor deste estudo, ROBERT EBSARY, já falecido, pertencia à mesma universidade.

E-mail: v.dimitrov@uws.edu.au

Liberdade e opções

O mundo moderno é rico de possibilidades.

A sociedade convive melhor com as diferenças e as mais diversas opções são possíveis, sem causar grandes choques e antagonismos.

No pretérito, não era assim.

Por muito tempo, a transposição entre classes sociais era difícil, senão impossível.

Em certas culturas, quem nascia em família de artesãos deveria sê-lo também.

O círculo da nobreza era inacessível para os nascidos plebeus.

Hoje vigora em maior grau uma liberdade não apenas de opções, mas também de costumes.

Perante o corpo social, afigura-se possível ao indivíduo escolher livremente sua profissão, hábitos, moradia e amigos.

Ele pode escolher constituir família ou permanecer solteiro.

É possível a alguém casar-se, separar-se, tornar a se casar inúmeras vezes.

Esse contexto de liberdade é valioso para os seres humanos.

Não é possível crescer em entendimento e compreensão sem a possibilidade de tomar decisões e arcar com as conseqüências.

Mas é preciso refletir sobre os reflexos das próprias opções.

Os seres humanos estão em constante interação e os atos de uns refletem nas vidas dos outros.

Justamente por isso se afirma que liberdade pressupõe responsabilidade.

Para o cristão a questão da liberdade é ainda mais séria.

Ele necessita compatibilizar as opções que faz com as palavras e os exemplos do Cristo.

Caso contrário, a palavra ‘cristão’ será apenas um rótulo, destituído de significado.

Assim, se você se afirma cristão, analise a forma como utiliza sua liberdade.

Reflita se suas opções revelam fidelidade às lições de Jesus.

Como você se identifica com os valores cristãos, isso quer dizer que sua sensibilidade está desperta para aspectos transcendentes da vida.

Ou seja, o mundo e seus valores não mais o satisfazem plenamente.

Há em você a necessidade de transcender, de amar puramente seus irmãos, de compreender e respeitar a vida.

Recorde, pois, que Jesus foi trabalho, amor, renúncia e pureza.

Suas opções estão de acordo com esse modelo?

Caso não estejam, pense que você é livre, pleno de possibilidades.

A cultura lhe é acessível, carreiras estão a sua disposição, você pode gastar seu tempo como lhe aprouver.

Por que não optar livremente pela felicidade duradoura?

Que lhe importa que no mundo imperem a desonestidade, a luxúria e a irresponsabilidade?

Você é responsável exclusivamente por suas opções, pelo que faz de sua vida.

Não utilize os equívocos dos outros como desculpas.

Em determinada passagem de uma de suas epístolas, Paulo de Tarso afirma que tudo lhe era possível, mas nem tudo lhe era conveniente.

É exatamente a sua situação.

No mundo atual, quase tudo é admitido, sem censuras.

Mas a consciência de quem ama e admira o Cristo não compactua com comportamentos levianos.

Não se iluda nem embote sua consciência.

Viva de forma nobre a sua liberdade.

Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita.

“… Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde.E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. E vivem como se nunca fossem morrer… e morrem como se nunca tivessem vivido.”


Dalai Lama

—–

Consciência é a Resposta

Por: Robert Happé

É tempo de despertar… Robert Happé

Quando me perguntam sobre a razão de vivermos aqui nesse planeta e o que estamos fazendo e por que há tanto caos, eu devo dizer que a vida é uma jornada. Uma jornada para descobrir quem você é.

Quando você chega naquela encruzilhada em que descobre o que você é, então você chega à paz. Uma vez que você esteja em paz, você pode criar de acordo com sua consciência criativa. Isso tem sido muito difícil. Nós temos tentado por milhares e milhares de anos criar um mundo que seja próspero, onde reconhecemos uns aos outros como divinos e iguais, e compartilhamos e cooperamos, mas nunca fomos capazes de fazer isso.
E por que? Eu tenho me feito essa pergunta.
Por que todas essas diversas culturas são tão extremamente diferentes?
E então quando você as estuda, e eu estudei bastante, viajei pelo mundo inteiro, vivi em países completamente diferentes, especialmente no Extremo Oriente e na Europa e também aqui na América do Sul, eu percebi que todas as pessoas são iguais, todas elas querem amar e todas elas querem ser amadas. Mas, isso não é o que está acontecendo. Apesar de todos nós querermos ser amados, de alguma forma é difícil para as pessoas amarem umas as outras e serem honestas umas com as outras e trocar coisas de uma forma honesta.
As pessoas organizaram nosso sistema de tal maneira que todos querem ter lucro. E muito lucro. O máximo possível. É um tipo de doença.
Há dois mil anos atrás, nós tivemos um grande homem, chamado Jesus, que expulsou os cambistas para fora do templo e disse: “Estes são o pior dos piores. Nunca deixem eles entrarem novamente porque eles vão destruir o mundo.” E nós deixamos que eles entrassem de novo. E então temos aqui todos esses banqueiros e agora tudo gira em torno da economia, todo mundo tem que lucrar e todo mundo está correndo de um lado para outro, passando doze horas por dia no trabalho, todos os dias, para pagar contas, esperando que tenham trabalho suficiente para fazer isso. O mundo ficou louco. E ninguém respeita mais ninguém!
Mas todo mundo usa todo mundo para conseguir o dinheiro necessário para pagar quaisquer contas que tenha que pagar. A situação ficou triste. O amor foi totalmente esquecido. E isso é por causa do nosso sistema.
Nosso sistema agora passou do dogma religioso para o dogma econômico, em que todos têm que pagar um pouco mais para aqueles que controlam a economia. E isso vai piorar. Você pode ver guerras acontecendo. Os governos não reconhecem a luz ou o amor em ninguém e matam milhares e milhares de pessoas apenas para colocar suas mãos nos recursos de outros países.
E a humanidade não parece fazer objeção. Eles sabem que isso é errado, mas não sabem como se expressar, porque, para quem iriam reclamar?
Nós chegamos agora em um período da nossa evolução em que as pessoas começam a ficar conscientes do que precisa ser mudado na nossa consciência para que tenhamos um mundo melhor.
E a solução não é remover pessoas de posições de poder, não. É mostrar uma nova face.
Mostrar uma face mais amorosa, não de medo, mas de amor, e esse é todo o objetivo do nosso aprendizado.
Quando você vem para o planeta Terra, quando você encarna aqui, você vem de um mundo que está unido, cheio de amor, e deste ponto você vai para um mundo inferior, que é o nosso mundo tridimensional, que é um mundo de dualidade. Então tudo que costumava ser um, é dividido em positivo e negativo, masculino e feminino. E esses dois precisam se unir. Mas nós nunca aprendemos isso. Nunca aprendemos nas nossas religiões que o masculino e o feminino precisam se unir para ficarem conscientes. Na verdade, nos deixaram com medo e disseram: “Não, o divino, ou Deus, está lá fora e você precisa adorá-lo e precisa ter esperanças que ele o abençoará.” Esse é um ensinamento falso. Deus não está somente fora, essa é apenas metade da verdade. Deus está também dentro de nós. Somos todos seres divinos. Mas o problema com nosso aprendizado é que precisamos entender que a natureza animal e a natureza divina, que estão separadas, precisam ser unidas. Então é o animal em nós que é medroso, que está sempre lutando para conseguir mais. E é o divino em nós que é capaz de cooperar e ser amoroso. O trabalho para cada ser humano é unir essas duas energias dentro de nós. A parte masculina que é a mente, e a parte feminina, que é mais o coração, estes dois precisam funcionar em harmonia. A intuição que é a energia do amor e compreensão está guiando a mente para fazer a coisa certa. Se acreditássemos em nós mesmos, imediatamente diríamos a coisa certa. Mas não acreditamos em nós mesmos, acreditamos em Deus em algum lugar lá fora, que Deus fará isso por nós, ou que ele nos abençoará. Mas Deus não vai fazer nada disso, porque ele já está dentro de você.
Estamos agora realmente no ponto em que precisamos tomar novas decisões. Temos que perdoar o passado, não vamos acusar ninguém. Mas precisamos respirar profundamente e dizer: “Como quero viver minha vida? Quero viver com o medo que é projetado em mim por todos os líderes do mundo inteiro que estão nos manipulando e controlando? Ou vou ignorar isso. E apenas fazer o que meu coração sente que é a coisa certa para se fazer?” Então você verá que será amigável com todo mundo. Um sorriso é como uma ondulação. Quando você vê alguém sorrir, você se sente elevado. Isso é um serviço. E é assim que nosso sistema deveria ser. Orientando ao SERVIR. Onde você serve os outros com a informação certa para que as pessoas de tornem quem elas devem ser.
Todos nós estamos aprendendo. Todo ser humano que está em encarnação, não importa em qual cultura você encarna… Estamos todos aqui para aprender as lições da integração, quando você aprende a unir o oposto com você mesmo. Você é a luz e a luz atrai experiência, que são suas experiências diárias, e é isso que você precisa amar. Se você não pode amar, porque tem todo tipo de opiniões sobre outras pessoas ou certas situações, não vai amá-las, porque está tão cheio de opiniões que está sempre julgando, sempre apontando o dedo, esquecendo-se que há sempre outros três dedos apontando de volta para você. Mas as pessoas não enxergam isso, vêem apenas o único dedo apontando para frente. O jogo é não mais julgar. O jogo é amar. O jogo é não ter medo, mas acreditar em si mesmo. E como você mesmo, expressar sua luz e expressar seu amor. Essa é a experiência humana. Se você não pode fazer isso, você não é humano, é mais animal, você está lutando pela existência, você está sempre atacando todos à sua volta porque está com muito medo.
Olhe para nossos líderes e veja como eles atacam outros países porque estão cobertos de medo. E não há nada para se temer. Se você amasse as pessoas, elas o amariam de volta. É simples assim! Não é assim tão complicada a vida. Mas de alguma maneira há uma força, que conhecemos por força das sombras, que aparenta ser tão forte que as pessoas não acreditam em si mesmas, mas acreditam na força das sombras e servem à sombra. E vão e lucram em cima de todo mundo e funcionam como parasitas nesse planeta.
A grande maioria das pessoas se tornou parasita. Não que elas queiram ser parasitas. Elas querem realmente ser amadas. Mas não há outro caminho. Com todo mundo é igual. Então precisamos agora, que as pessoas sejam diferentes. Que acreditem em si mesmas. E expressem seu amor, sejam felizes e se unam com todos. Esse é o despertar final.
Outra questão é: quem está despertando neste planeta?
Os jovens, esses já chegaram lá. Eles já sabem que o sistema é uma coisa muito ruim, que há algo de muito errado com o sistema, e tentam se afastar dele. Mas um dia eles têm que pagar as contas. E tem que fazer parte desse sistema e se tornam tão gananciosos e negativos quanto o resto da humanidade. Ou eles são 90% do dia negativos e 10% agradáveis. Talvez uma hora antes de irem para a cama. Mas isso não é bom o bastante. O que é bom o bastante é que estejamos todo o tempo alertas e estimulando uns aos outros a fazer a coisa certa. Não julgando, mas mostrando o caminho. Você pode estar simplesmente mostrando o caminho. Muitas pessoas simples que são muito amorosas, trabalham em hospitais e até em prisões. Porque muitos sofrem tanto é que elas trabalham de manhã até a noite, porque amam servir. E elas serão recompensadas. A maioria das pessoas não entende o karma. A maioria não percebe, por causa dos dogmas, que a vida é infinita.
Não há fim para ela. Nós já vivemos infinitamente antes e agora estamos aqui aprendendo as lições da integração. Precisamos aprender a criar uma situação na qual as situações negativas e as positivas se unam. Não o positivo em preferência ao negativo, não, porque assim você cria separação. Você tem que uni-las. Como um homem, positivo, e uma mulher, negativo, estes pólos precisam ser unidos para que você tenha uma única grande luz. É isso que é a consciência, se você tem um pólo positivo e negativo de eletricidade e os coloca juntos, a luz se acende. É o mesmo com a sua consciência. Mas para isso você precisa se casar. Então todos os seres humanos precisam passar pela experiência do casamento, em que você atrai o sexo oposto e aprende a unir-se com ele. Os dois são diferentes. A mulher é diferente, o homem é diferente da mulher.
Eles têm funções diferentes. A mulher é intuição, ela é mais do mundo interior. O homem é mais do mundo exterior e quer criar no mundo exterior. A mulher, com sua intuição poderia inspirar o homem a criar as coisas mais maravilhosas. Mas o homem não acredita na mulher. A mulher é vista como cidadão de segunda classe e não tem os mesmos direitos que o homem. O que é uma ignorância total. Porque é a mulher que tem acesso a intuição, que é o acesso a Deus, é o acesso ao amor dentro do coração. Então nós precisamos aprender isso e é por isso que estamos aqui. E se nos casamos com o sexo oposto, precisamos aprender a dançar em harmonia e nos tornar como uma só pessoa. Quando você se torna como uma só pessoa, você automaticamente se torna tão consciente sobre sua possibilidade como criador que vocês dois começam a criar as coisas mais maravilhosas do mundo. Para que outras pessoas também possam fazer o mesmo, porque todos somos o mesmo. Todos temos que estimular cada um a ser igualmente conhecedor, capaz e criativo quanto todos os outros. Não um tentando controlar o outro ou aos outros, não. Iguais! Aqueles que estão mais elevados na consciência vão ganhar o respeito de todos. É uma questão de respeito, não uma questão de controle. Estamos agora naquele ponto em que alcançamos a habilidade e devemos abraçar esses conceitos, em que podemos realmente entendê-los.
Agora precisamos fazer…. A vida é tão simples, não é uma coisa difícil e filosófica que você precisa aprender todo dia, não. Você só precisa vivê-la. Você precisa viver sua vida sabendo quem você é, sabendo que você precisa se integrar com o oposto. E confiar no oposto. O maior presente que você pode dar a seus amigos ou a seu parceiro é o presente da confiança. Você confia que eles sejam divinos e confia que eles vão fazer a coisa certa. E se você confiar, eles vão confiar, mesmo que eles não quisessem fazê-lo antes, mas como você confiou tanto, eles vão retribuir a confiança assim mesmo. Isso é criação! Isso é segurança!
Agora você estando seguro de si mesmo porque sabe que pode transmitir o conhecimento que tem para os outros apenas sendo honesto não honesto com os outros, mas honesto com o amor. A honestidade também é mal entendida. Na verdade tudo é mal entendido nesse planeta. E agora o jogo é entender. Nós cometemos tantos erros, e é bom que tenhamos cometidos todos esses erros, porque você nunca vai conhecer a verdade a não ser que tenha estudado tudo aquilo que não é verdade. E agora podemos ver que temos sido mal orientados pelas nossas organizações religiosas.
Quase todas as organizações religiosas entenderam as coisas do avesso. Porque a religião não está aí para ajudar, amar e guiar as pessoas para a coisa certa, mas a religião é criada para controlar. Eles criam um dogma com muitas regras e se você contraria as regras, você contrariou Deus, de acordo com as histórias deles. Mas Deus não fica contrariado com isso. Deus não fica contrariado se você cometer um erro. Deus fica contrariado se você matar pessoas ou rotulá-las em nome Dele. Isso é uma coisa ruim. Muitos religiosos estão preparados para matar se você quebrar uma regra. Isso está errado! Se você for honesto você sabe que está errado. Então temos que nos tornar mais confiantes com nosso próprio nível de discernimento e acreditar mais em nós mesmos. Assim começamos a viver com mais honra e com mais respeito uns pelos outros.
Chegou a hora de parar de ler os jornais, parar de ouvir aqueles líderes que estão totalmente confusos e se expressam com tremenda violência. Estes não são líderes, estes são os falsos líderes. Os verdadeiros líderes sempre vão direcioná-lo para você mesmo, sempre vão direcioná-lo para criar paz. A paz não é algo que demore anos de negociação. A paz pode acontecer agora mesmo, simplesmente ao tomarmos a decisão de que queremos paz. É claro que todo ser humano é seu irmão e sua irmã. Esqueça as culturas. Esqueça as religiões. Lembre-se de que somos humanos, somos todos humanos. E o jogo real é dominar o animal dentro de você.
O animal ainda não aprendeu a se unir com o seu aspecto divino. O animal ainda está cheio de medo. E você, como ser humano e eu e todo mundo, nós temos, cada um para si mesmo, temos que decidir conquistar o animal, para que o animal não se expresse mais com os seus medos, mas para que o divino se expresse com amor e atitudes cooperativas. Assim teremos o novo mundo. O novo mundo não é um presente que chega para nós, o novo mundo é o que você merece por causa das suas ações e suas expressões. Estamos muito perto disso agora. Muito perto. Nos últimos 10, 20 anos as crianças que estão vindo para encarnação são todas almas altamente evoluídas, que entenderiam esse conceitos muito facilmente. Mas elas ainda estão lutando com os dogmas que foram projetados sobre elas pelos seus pais e seus líderes religiosos, e não sabem bem o que fazer e se sentem confusas. E a educação é abominável, eles não lhe ensinam nada sobre você mesmo, eles lhe ensinam bastante sobre matemática. Elas demoram anos e anos para aprender matemática e quando chegam ao mundo nunca usam o que aprenderam. Por que eles não nos ensinam sobre quem somos nós? E o que podemos fazer? E que somos amor e somos luz e que estamos representando, as boas energias de Deus?
É isso que somos, estamos representando essa energia de Deus. Mas não estamos fazendo isso. O que estamos representando, o que as massas estão representando, são as energias do medo. Todo mundo está com medo. E ninguém ousa falar. Isso precisa ser discutido, nós precisamos falar sobre isso. A educação é responsável por informar crianças muito pequenas quem elas são e o que elas vieram fazer, que elas vieram ajudar no processo de unificação, na integração com os outros, com amizade, com qualidades do ser divino, que são na verdade a habilidade de cooperar.
As crianças entendem isso imediatamente, porque elas já estão assim. Mas se você é programado nas escolas e universidades que temos, ficando tão bem treinados no modo racional e a intuição é tão completamente rejeitada, que nos tornamos muito racionais e o racional não tem acesso ao coração e tem medo. E está sempre competindo. E sempre quer lucro. E nunca sabe como compartilhar amor. É isso que precisamos discutir, todo dia. Todo ser humano precisa refletir de novo sobre si mesmo e dizer: “Por que não estou em paz? Por que estou tendo tantos medos? E por que sou tão negativo nos meus relacionamentos com meus amigos, com minha família, ect? Por que não posso ser mais amigável? Por que não posso permitir mais aos outros serem do jeito que eles querem ser?” Não importa se você quer ser muçulmano ou budista, não importa. Algumas pessoas gostam de café, outras gostam de chá. Algumas gostam de leite e outras só bebem água.
É uma escolha e você apenas permite que ela aconteça. Todos podemos ser livres. Mas vamos compartilhar os ensinamentos de quem somos nós e o que podemos fazer e de que somos criadores e responsáveis pelo que fazemos e pelo modo como nos expressamos. Quando falamos sobre essas coisas, num curto período de tempo, todo mundo se torna muito, muito responsável. E começa a discernir qual é a melhor forma de viver.
O problema em compartilhar amor e compaixão é que você primeiro tem que compartilhar isso com você mesmo. Porque muitas coisas aconteceram na nossa vida e muitos erros foram cometidos, e nós precisamos perdoá-los. Nós precisamos perdoar as injustiças que foram praticadas contra nós e também você tem que perdoar as maneiras injustas pelas quais você tem se expressado a outras pessoas. Tudo isso aconteceu porque havia muitos mal-entendidos. Dogmas demais, opiniões demais, entendimento de menos. Para limpar sua mente desses impulsos negativos, desses padrões de pensamentos negativos do passado, você tem apenas que perdoá-los e deixá-los ir embora. É como quando você enche um balão e solta. Você pode fazer isso em meditação. A meditação é uma forma maravilhosa de se conectar com Deus dentro de você e de se tornar inspirado por essa energia de Deus para saber como se tornar livre da sombra.
A sombra são pensamentos negativos que projetados sobre você e que também ajuda a criar, porque você não compreende a vida. Agora você tem que perdoar isso, porque você já pode enxergar melhor. Quando você pode enxergar melhor, você pode se desfazer do passado, o passado não existe mais. Quando falamos sobre compaixão, você primeiro precisa fazer a lição de casa. E a lição de casa é escrever todas as coisas do passado com as quais você não está feliz. E perdoá-las, deixá-las ir embora, deixá-las ir embora mesmo!
E conforme você se torna livre dessa maneira de passado, você se liberta da sua dor, a dor que a alma sente, das injustiças. Há também uma tremenda dor na alma de todos pelas injustiças que estão acontecendo no nosso planeta. Por causa de governos e líderes que são totalmente ignorantes. Eles nos colocam em perigo, quase em extermínio. Chegou a hora de nos expressarmos. Toda pessoa, não importa em qual posição você esteja, não importa se você tem uma vida de nível muito inferior ou uma vida de nível muito superior, ou qualquer coisa entre os extremos, tem que se expressar. Vamos nos unir em querer viver de uma forma em que possamos respeitar uns aos outros e viver em paz com os outros. É possível. A maioria das pessoas quer isso, são os líderes que não querem. Eles preferem controlar. E eles controlam com o medo. É tão óbvio, está em todos os jornais, você pode ver na televisão o tempo todo. Medo, medo, medo! Não é a respeito de amor, amor, amor! Precisamos escolher líderes que sejam de fato líderes para todo mundo. Que queiram realmente a paz. É difícil acreditar em um diplomata, porque um diplomata é alguém que nunca pode realmente dizer a verdade. É disso que trata a diplomacia, expressar um aspecto da verdade, não toda a verdade. É claro que na diplomacia isso é necessário, porque são muitas as opiniões divergentes. Mas agora temos que cortar caminho por tudo isso e dizer: “Vamos lá, vamos parar de brincar, vamos para a coisa real e vamos fazer isso agora. Não amanhã, agora!” Eu tenho certeza de que se você compartilhasse isso com todo mundo, se dissesse: “Ei, alguém topa? Vamos fazer as pazes?” Todo mundo faria, todo mundo seria parte disso e apoiaria – especialmente os jovens. Os jovens sofrem tremendamente nas suas almas, quando eles olham em volta e vêem como é difícil viver aqui, como há energias não amorosas por toda parte. O tempo do despertar, que é esse período de tempo, é agora! A pergunta é: quantos de vocês ou quantas pessoas vão participar? Se muitas delas participarem, nós iremos pacificamente para uma era de ouro. E o fim da escuridão acontecerá em alguns poucos anos. Mas se essa escolha não for feita, então teremos que sofrer e continuar sofrendo com as forças das sombras, que controlam a religião o governo. E a medicina. A medicina é outra coisa, é terrível! As pessoas não entendem o que curar significa. As pessoas não percebem que nosso corpo é tão perfeito que ele não pode ficar doente. Mas, se viver com medo na sua mente, e viver tempo suficiente com esse medo, esse medo irá se alimentar de você e você então ficará doente. Você pode ter um câncer, pode ter qualquer tipo de doença, qualquer tipo de fraqueza, porque você escolhe a sombra na sua mente. Você não deveria viver com a sombra, você deveria viver com o amor. Se há qualquer coisa na sua mente que não seja amorosa, você é irresponsável. E se nossos líderes contassem isso para a humanidade e lembrasse a humanidade disso, ela iria imediatamente aceitar, porque faz sentido. Qual é o sentido de se viver com medo? Não há sentido!
Nossa vida poderia ser uma alegria tão grande. Onde quer que você vá, você está em casa. Onde quer que você vá, você está com sua família. Não importa qual cor de pele eles têm, porque todos são o mesmo, todos são amigáveis e amorosos. Eu viajei por todo o planeta e nunca encontrei nenhum povo que não fosse capaz de amar. Então esse tempo chegou agora e eu espero que nós tenhamos mais programas na televisão, por exemplo, já que a televisão é um instrumento maravilhoso para falar sobre coisas, mas, ela naturalmente é controlada pela sombra. E seria muito difícil colocar alguma coisa como o que estamos falando, discutindo, na televisão, porque se todo mundo se tornar amoroso, ninguém pode mais ser controlado, então se sabe que isso é uma coisa bem difícil. Mas os líderes também estão mudando. Como a luz está aumentando, e mesmo o tempo parece estar acelerando, todos estão novamente sendo colocados na frente do espelho e sendo questionados: “Dê que lado você está? Você está do lado da escuridão e do medo e conflito e ganhando dinheiro à custa dos outros, ou você está do lado do amor e da luz e compartilhando e cooperando uns com os outros e servindo uns aos outros com o que você sabe? Essa é a escolha. Se você colocar isso claramente para todo mundo, eu tenho certeza que todos, ou seja, a grande maioria, vai imediatamente dizer “é claro que somos pela luz, pelo amor, pela cooperação e pela paz, estamos esperando há anos.” O que eles não perceberam é que têm que se tornar um aspecto ativo e criativo do que eles de fato querem nas suas vidas.
Precisamos de comunicação mais positiva e precisamos falar dessas coisas o tempo todo. Até que todo mundo entenda o seu papel na jornada criativa que estamos fazendo para descobrir quem somos nós. Então, outra recomendação, como somos criadores, também somos capazes de usar a imaginação. A imaginação é a força, é a ferramenta que temos para poder cria exatamente aquilo que queremos. Na imaginação, você tem que sonhar mais, tem que fechar os seus olhos para o mundo e começar a sonhar o que é que você quer, o que é que você gostaria de ver acontecendo, o que é que você gostaria de criar, como você gostaria de ajudar. Então você visualiza um mundo do eu ideal, onde todos estão em paz, todos estão felizes e como você iria ajudar nessa felicidade. Essa visualização, esse sonho que você pode colocar na tela da sua mente, é a sua contribuição para a criação. E outras pessoas começam a sonhar e captam seu sonho e ele começa a se espalhar. Isso é comunicação. Somos seres espirituais, não somos apenas seres físicos. Somos seres espirituais temporariamente em um corpo físico. Aprendendo a criar nossos sonhos. E quando você sonha, não apenas à noite, mas quando você aprende a sonhar enquanto está acordado, é aí que começa a acontecer. Você começa a atrair na sua vida outras pessoas que são igualmente capazes de sonhar sonhos semelhantes. Então isso começa a se espalhar. E um serviço seria ajudar alguém ou sorrir para alguém ou ser capaz de escutar os pássaros e ouvir o som do amor através do mundo animal. Os animais são nossos companheiros. Infelizmente passamos bastante tempo nos alimentando deles. Mas, na verdade, os animais são nossos companheiros, nós podemos aprender muito com nossos animais. Como foi prometido, quando tivermos aprendido a fazer as pazes uns com os outros, todos os animais chegarão a paz também. E eu acho que essa é a nossa jornada agora. E é isso que deveria acontecer nesses próximos anos. Eu acho que a mágica vai acontecer. Eu acho que quando todos os jovens erguerem suas vozes, se expressarem, esse mundo vai mudar para um mundo que sempre desejamos (e quisermos) ter. Onde todos se sentem seguros porque todos os outros são seus amigos. Obrigado! Assim seja…

Robert Happé

Robert Happé nasceu em Amsterdã, Holanda. Estudou religiões e filosofias na Europa e dedicou-se desde então a descobrir o significado da vida. Estudou também Vedanta, Budismo e Taoísmo no Oriente durante 14 anos, tendo vivido e trabalhado com nativos de diferentes culturas de cada região onde esteve – Índia, Tibet, Camboja e Taiwan.
Em seu retorno à Europa, sentiu necessidade de compartilhar o conhecimento adquirido e suas experiências de consciência. A partir daí, trabalhou em várias universidades, e tem trabalhado continuamente com grupos de pessoas interessadas em autoconhecimento e desenvolvimento de seus próprios potenciais como seres criadores.
Desde 1987 vem compartilhando informações em forma de seminários e workshops em países da Europa, na África do Sul, nos EUA, na Austrália, e no Brasil.
Seu trabalho é independente, estando desvinculado, sob todo e qualquer aspecto, de organizações religiosas, seitas, cultos e outros grupos.

Fonte: http://www.roberthappe.net/port/robert.htm

—-

” Existe uma força motriz mais poderosa que o vapor, a eletricidade e a energia atômica: a Vontade “

Albert Einstein

1 Comentário »

  1. Congratulaciones Vitor pelo magnífico Portal e Blog!!!
    desde Méx. un abrazo!

    Comentário por Lupita Mota — 09/02/2011 @ 2:39 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: