Vítor Alberto Klein's Blog

18/07/2011

INDIGNAÇÃO EM FALTA

Filed under: Atualidades — vitoralbertoklein @ 19:06

Por Jaqueline Falcão e Marcus Vinicius Gomes

Fonte:  O Globo

Brasileiros saem às ruas em causas próprias, mas não contra a corrupção.

SÃO PAULO e CURITIBA. Em meio a escândalos de corrupção como os descobertos no Ministério dos Transportes, por que os brasileiros não saem às ruas contra esses desmandos? Organizadores de marchas pela legalização da maconha e pelos direitos dos gays, que lotaram as ruas de grandes cidades recentemente em defesa de suas causas, arriscam um palpite: a apatia seria causada por outro mal do Brasil, a impunidade.
O cientista político Marco Magri, um dos organizadores da Marcha da Maconha, vê uma descrença generalizada por parte da população, principalmente porque os três Poderes (Executivo, Judiciário e Legislativo) não têm dado respostas à sociedade contra a corrupção. Para Magri, o sistema de controle do combate à corrupção no Brasil está contaminado.
– Infelizmente, esse tipo de debate é dominado por essas três esferas de poder. Você tem um juiz julgando um deputado. Um funcionário do Executivo cria uma norma que o juiz seguirá. E o deputado vota a lei. Aqueles que deveriam ser o poder de controle um do outro não estão agindo – analisa Magri.
Ele acha que falta definir um objetivo específico para uma marcha contra a corrupção:
– Não existe um pedido específico nem mecanismos para concretizar uma luta. Iria para a rua pedir o quê? Para a lei ser cumprida? Para que deputados corruptos sejam punidos?
Para Ideraldo Beltrame, presidente da associação que organiza a Parada Gay em São Paulo, os movimentos gay conseguem levar multidões às ruas porque envolvem questões mais práticas:
São questões objetivas e, normalmente, relacionadas aos direitos de grupos vistos como minorias. E também a corrupção é algo pulverizado, não palpável – diz Beltrame.
O fato de a população ter pontos de vista diferentes sobre o assunto também enfraquece a mobilização. Na visão de Beltrame, mesmo com a corrupção presente no dia a dia, as pessoas só têm a percepção dela quando há um grande escândalo, mas acabam achando que não adianta protestar.
– O movimento dos jovens que pintaram a cara, em 1992, pedindo o impeachment do então presidente Collor foi contra um tipo de corrupção. Mas, como a corrupção no Brasil já é crônica, acontece em diferentes momentos e em diferentes setores da sociedade, as pessoas ainda não incorporaram, como aspecto de cidadania, a luta contra a corrupção de maneira mais ampla – afirma Beltrame.
Movimentos foram cooptados
O presidente do Instituto Brasil e África, Saul Dorval da Silva, membro da Comissão de Política Étnico Racial (Comper) de Curitiba, é mais crítico. Para ele, a ausência de bandeiras contra a corrupção nas manifestações sociais deve-se em grande parte ao atrelamento dos movimentos estudantis e sindicais ao governo:
– A UNE virou um aparelho do governo na era Lula, assim como as centrais sindicais. Sem eles, as minorias voltaram-se para sua própria pauta – diz ele.
Já a coordenadora de logística Manoela Martins, uma das organizadoras da Marcha das Vadias, realizada ontem em Curitiba, diz que a ausência de reivindicações contra a corrupção no protesto se deve ao seu caráter suprapartidário.
– Não queremos partidarizar o movimento. Se levantarmos a bandeira contra a corrupção no governo do PT, por exemplo, estaremos atendendo apenas aos adversários do partido e perdendo o foco da nossa reivindicação, que trata da violência sexual contra a mulher.
A posse de deputados barrados pela Lei da Ficha Limpa e que foram liberados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) foi uma oportunidade não aproveitada pela população de ir às ruas, segundo Beltrame:
– Seria uma oportunidade de tentar garantir que, naquela eleição, quem tivesse ficha suja não se elegeria – diz ele.
Quanto a pouca vontade de mobilização a reportagem de Reinaldo Azevedo, na Veja, (Por que o brasileiro não se indigna e não vai à praça protestar contra a corrupção?)  mostra com mais profundidade esse problema.
link:   http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/por-que-o-brasileiro-nao-se-indigna-e-nao-vai-a-praca-protestar-contra-a-corrupcao-ensaio-uma-resposta-antes-de-alguns-dias-de-folga/
Por Vítor Alberto Klein
Como já dito certa vez por uma política de São Paulo:  “relaxa e goza…”  rsrsrsrsrsrss
Afinal tudo isso não afeta ou prejudica a ninguém mesmo, não é assim ???   O meu está garantido !   O resto, é o resto…
Vamos ver até quando vigorará este pensamento….Talvez, por muito tempo ainda….ou talvez o tempo ruja, ou urja !

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: