Vítor Alberto Klein's Blog

06/05/2011

Aforismos Budistas

Filed under: Variedades — vitoralbertoklein @ 12:12

Fonte:  Dhammapada – (doutrina budista ortodoxa em versos)

As mais belas e proveitosas doutrinas do Buda são as que estão reunidas numa seção das escrituras budistas denominada “O Dhammapada”, que significa literalmente “Caminho da Verdade”, também conhecida como “as Pegadas da Lei. É uma antologia de 423 aforismos escritos originalmente na língua pali, contendo um extrato da ética budista.

 

VERSOS GÊMEOS

Tudo o que somos é o resultado do que pensamos: está baseado em nossos pensamentos, é feito dos nossos pensamentos. Se um homem fala ou age com mau pensamento, a dor o acompanha; assim como as rodas seguem os pés do boi que puxa o carro.

Tudo o que somos é o resultado do que pensamos: está baseado em nossos pensamentos, é feito dos nossos pensamentos. Se um homem fala ou age com pensamento puro, a felicidade o acompanha como uma sombra que nunca o abandona.

“Ele me tratou mal, ele me bateu, ele me derrotou, ele me roubou” – naqueles que abrigam tais pensamentos, o ódio nunca cessará.

“Ele me tratou mal, ele me bateu, ele me derrotou, ele me roubou” – naqueles que não abrigam tais pensamentos, o ódio cessará.

Pois, o ódio nunca cessa com o ódio. O ódio só termina com o amor – essa é uma lei muito antiga.

Assim como a chuva entra numa casa mal coberta, a paixão entra numa mente irrefletida.

Assim como a chuva não entra numa casa bem coberta, a paixão não entra na mente que bem reflete.

DO ZELO

O zelo é o caminho da imortalidade (Nirvana); a frivolidade, o caminho da morte. Aqueles que são zelosos não morrem; os que são frívolos, já são como mortos.

Despertando a si mesmo, vivendo zelosamente e controlando-se, o homem sábio pode fazer para si mesmo uma ilha que nenhuma inundação possa afundar.

 

DO PENSAMENTO

Assim como um fabricante de flechas faz suas flechas retas, um homem sábio endireita seu trêmulo ou vacilante pensamento, de que é difícil ele se proteger, que é difícil de afastar.

Que o homem sábio vigie seus pensamentos, porque eles são difíceis de perceber, muito ardilosos, e se precipitam para onde querem; pensamentos bem vigiados trazem felicidade.

DAS FLORES

Assim como a abelha colhe néctar e parte sem danificar a flor, ou sua cor, ou seu aroma, assim deve o sábio viver em sua vila.

Nem para as perversidades dos outros, nem para os pecados que eles pratiquem diretamente ou por omissão, mas para seus próprios atos errôneos e suas negligências, deve o sábio atentar.

Como uma bela flor, exuberante em sua cor, mas sem fragrância, são as bonitas mas estéreis palavras daquele que não age em conformidade com as mesmas.

Mas, como uma bela flor, exuberante em sua cor e em sua fragrância, são as bonitas e fecundas palavras daquele que age em conformidade com as mesmas.

O aroma das flores não se propaga contra o vento, nem o do sândalo, nem o das flores Tagara e Malika; mas o aroma das pessoas boas se propaga mesmo contra o vento; um homem bom se faz presente em toda parte.

DO TOLO

Longa é a noite para aquele que não consegue dormir; longo é um quilômetro para aquele que está cansado; longa é a vida para o tolo que não conhece a verdadeira lei.

Se um viajante não encontrar alguém que seja melhor do que ele, ou igual a ele, que se mantenha firme em sua jornada solitária; um tolo não é boa companhia.

“Estes filhos me pertencem, e esta riqueza me pertence”. Com esses pensamentos, é o tolo atormentado. Ele próprio não se pertence; muito menos filhos e riqueza.

O tolo que sabe que é tolo, pelo menos nisso e sábio. Mas o tolo que se considera sábio bem merece o nome de tolo.

Se um tolo viver com um sábio, mesmo por toda a sua vida, perceberá tão pouco a verdade quanto a colher sente o gosto da sopa.

Não é bom o ato de que o homem tem de se arrepender, e cuja recompensa ele recebe chorando.

Mas é bom o ato de que o homem não tem de se arrepender, e cuja recompensa ele recebe alegremente.

Enquanto o mau ato não produz fruto, o tolo pensa que ele é como mel; mas quando ele amadurece, o tolo sofre pesar.

 

DO SÁBIO

Se encontrares um homem que te mostre o que deve ser evitado, que te faça reprimendas e seja inteligente, segue esse sábio como seguirias alguém que falasse de tesouros escondidos; será melhor, não pior, para aquele que o siga.

Que ele advirta, que ele ensine, que ele proíba o que seja impróprio! Será amado pelos bons, e pelos maus será odiado.

Não tenhas malfeitores como amigos, não tenhas pessoas vulgares como amigas, tem como amigos os melhores homens.

O poceiro conduz a água para onde quer; o armeiro endireita a flecha; o carpinteiro dobra a tábua; pessoas sábias moldam a si mesmas.

Assim como a rocha firme não é abalada pelo vento, pessoas sábias não são afetadas por acusações nem louvores.

Pessoas sábias, após terem escutado as leis, ficam serenas, como um lago profundo, liso e parado.

O VENERÁVEL

Não há sofrimento para aquele que concluiu sua jornada e abandonou o pesar, que se libertou em todos os aspectos e rompeu todos os grilhões.

O homem que está isento de credulidade, mas conhece o incriado, que rompeu todos os grilhões, extirpou todas as tentações, renunciou a todos os desejos, este é o maior dos homens.

OS MILHARES

Se um homem conquista em batalha mil vezes mil homens e outro conquista a si mesmo, este é o maior dos conquistadores.

Seja o que for que um homem sacrifique neste mundo, como oferenda ou como obrigação, durante um ano inteiro, para adquirir mérito, tudo isso nada vale; a reverência para com um homem reto é melhor.

Aquele que sempre saúda e constantemente reverencia os idosos, quatro coisas têm aumentadas: vida, beleza, felicidade e poder.

Mas se um homem vive cem anos, corrupto e desregrado, uma vida de um dia é melhor, se o homem é virtuoso e ponderado.

E se um homem vive cem anos, ignorante e descontrolado, uma vida de um dia é melhor, se o homem é sábio e ponderado.

DO MAL

Se um homem comete um pecado, que não o repita; que ele não se deleite no pecado; o acúmulo do mal é doloroso.

Se um homem pratica um bem, que o repita; que se deleite nesse bem; o acúmulo do bem é deleitoso.

Que o homem evite maus atos, como um mercador que, se tem poucos companheiros e muito dinheiro, evita uma estrada perigosa; como um homem que ama a vida evita veneno.

Aquele que não tem feridas na mão pode tocar veneno com a mão; o veneno não afeta quem não têm feridas, nem há mal para aquele que não pratica o mal.

Se um homem ofende a uma pessoa inofensiva, pura e inocente, o mal se abate de volta sobre esse tolo, como poeira atirada contra o vento.

 

DO CASTIGO

Aquele que, buscando sua própria felicidade, maltrata ou mata seres que também anseiam por felicidade, não encontrará felicidade após a morte.

Não fales asperamente a ninguém, aqueles a quem assim falares te responderão do mesmo modo. A fala irada é dolorosa; pela retaliação serás atingido.

Poceiros conduzem a água para onde querem, armadores endireitam flechas, carpinteiros curvam tábuas; pessoas virtuosas moldam a si mesmas.

O MUNDO

Não sigas a má lei. Não vivas irrefletidamente. Não sigas falsas doutrinas. Não sejas amigo do mundo.

Segue a lei da virtude; não sigas a lei do pecado. O virtuoso repousa em bem-aventurança, neste mundo e no próximo.

Vem, contempla este mundo, brilhante como uma carruagem real; os insensatos nele estão mergulhados, mas os sábios nem o tocam.

 

DA FELICIDADE

A vitória gera o ódio, porque o conquistado fica infeliz. Aquele que renunciou, tanto à vitória como à derrota, esse, o contente, é feliz.

DA RAIVA

Que um homem abandone a raiva, que ele abandone o orgulho, que ele supere todo aprisionamento! Nenhum sofrimento acomete o homem que não está apegado a nome e forma, e que nada chama de seu.

Aquele que persiste em raiva, como uma carruagem disparada, esse eu chamo de real carroceiro; outras pessoas estão apenas sustentando as rédeas.

Que um homem supere a raiva pelo amor, que ele supere o mal pelo bem; que ele suplante o cobiçoso com a generosidade, que ele suplante o mentiroso com a verdade!

DA IMPUREZA

Que o homem sábio elimine suas impurezas, como o ferreiro elimina as impurezas da prata, uma a uma, pouco a pouco, e de tempos a tempos.

O defeito dos outros é facilmente percebido, mas o nosso defeito é difícil de perceber; amontoamos os defeitos de nossos semelhantes, como o feno, mas ocultamos nossos próprios defeitos, assim como um jogador trapaceiro esconde o dado que não o favorece.

O CAMINHO

O melhor caminho é a óctupla senda; a melhor verdade, a das quatro palavras; a melhor virtude, a ausência de paixões; o melhor homem, aquele que tem olhos para ver.

“Todas as coisas criadas perecem”. Aquele que percebe e sabe isso se torna resignado na dor; esse é o caminho que leva à pureza.

Abatei toda a floresta dos desejos; não apenas uma árvore! O perigo vem da floresta dos desejos. Quando tiverdes abatido a floresta dos desejos e extirpado suas raízes, então, estareis livres da floresta e dos desejos!

Extirpai o amor ao ego, como um lótus do outono, com vossas próprias mãos! Amai o caminho da paz!

Deixe um comentário »

Nenhum comentário ainda.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: