Vítor Alberto Klein's Blog

21/02/2011

AS FRAUDES – CROP CIRCLE

Filed under: Variedades — vitoralbertoklein @ 20:56
Fonte: www.acasicos.com.br/
FONTE: http://zetas.bloguepessoal.com/r1087/Crop-circles-Circulos-no-trigo/
Histórico

O mundo começou a ter conhecimento dos “círculos ingleses” a partir da década de 80, apesar destes cículos terem aparecido pela primeira vez, há séculos. Os famosos “círculos ingleses”, os quais são chamados de círculos por força do hábito, têm sido documentados desde o século XVI.

Por que levamos tanto tempo para validá-los?

Considerados verdadeiras obras de arte por estudiosos e especialistas, estima-se que cerca de 10 mil destas enigmáticas figuras já foram descobertas em todo o mundo, sobretudo no sudoeste da Inglaterra (próximo à região onde se situa Stonehenge), onde a percentagem de incidência destas figuras chega a 98% dos círculos já encontrados. Os outros 2% foram encontrados na Austrália, Estados Unidos, França e Canadá.

Os círculos ingleses são na verdade um emaranhado de formas geométricas de diversos tamanhos dispostas de maneira organizada. Em alguns casos extremos, círculos compostos por mais de 200 figuras geométricas perfeitamente dispostas, numa extensão que vai além de 300 metros de comprimento, já foram encontrados sem que os estudiosos – incluindo os do governo britânico – tivessem a menor ideia de como foram feitos.

Os desenhos parecem ser específicos a cada ano, quase como capítulos num livro. Em 1994, houve uma proliferação do que se convencionou chamar de “insectogramas”, com figuras na forma de escorpiões, aranhas, teias de aranhas e outros insectos. Em 1995, os padrões pareciam sugerir sistemas solares, cinturões de asteróides e outras figuras planetárias. Em 1993, houve uma incidência de padrões geométricos.

Nestes círculos, ou em sua proximidade, nunca foram encontrados quaisquer traços ou pistas que indicassem como foram feitos ou por quem. Não há pegadas de pessoas, ou marcas de pneus de veículos, nem sinal de que as plantas no seu interior tenham sido manipuladas por humanos.

Simplesmente, os círculos surgem do nada, portando uma mensagem inexplicável e desafiando a nossa inteligência e tecnologia.

As Fraudes

Estima-se que cerca de 30% dos círculos encontrados sejam falsos. Diversos motivos levam as pessoas a forjarem as figuras, entre elas estão a vontade de aparecer e ser notícia e principalmente a tentativa de desmoralizar os estudiosos do fenómeno. Há também aqueles grupos de pessoas que disputam entre si para ver quem faz o desenho mais bonito e mais próximo da realidade e para demonstrar as suas habilidades artísticas.

O caso mais clássico de forjadores aconteceu há alguns anos. Dois reformados de Preston Highs chamados Doug e Dave, procuraram a imprensa britânica e reclamaram para si a autoria de alguns círculos descobertos na área de Alton Baines. A sua história correu mundo e muitos deram como encerrado o caso dos círculos ingleses, porém, quando diante dos jornalistas, mal conseguiram desenhar tais figuras, resultando em formas mal acabadas, sem qualquer precisão e com poucos metros de diâmetro.

Os estudiosos mais experientes dizem que os círculos forjados são mais facilmente identificados pois são realizados de forma irregular, sem a simetria ou a perfeição geométrica dos círculos verdadeiros e ainda ficam repletos de vestígios de quem os fez e como.

As Pesquisas Continuam…

Nem mesmo os estudiosos que acompanham os aparecimentos desde o começo da década de 80 se atrevem a esboçar alguma explicação para o fenómeno.

Nos meses de pico, entre Maio e Setembro (época em que as plantações estão próximas da colheita), milhares de estudiosos de todo o globo se reunem no sudoeste da Inglaterra atrás de novas figuras, que às vezes chegam a aparecer quase que diariamente.

É importante frisar que nenhum vestígio foi encontrado em qualquer círculo validado, a não ser uma certa forma de energia desconhecida ou não catalogada pela Ciência actual. Esta forma de energia produz uma mudança a nível genético nas plantas afectadas pelo fenómeno, a qual faz com que sementes também sejam afectadas.

Até hoje, a Fundação Lawrence Rockfeller tem vindo a financiar pesquisas não convencionais, destinando a estas, largas somas de dinheiro, mas ainda não foi encontrado nada de concreto sobre este fenómeno.

O Efeito nas Plantas e no Solo

Os “círculos” só aparecem nas plantações de trigo, cânola e cevada. Os caules destas plantas, que normalmente quando entortados quebram-se, nas áreas onde o fenómeno ocorre, chegam a ser entortados em cerca de 90 graus.

Isto dá-se num ponto entre 20 e 80% da altura total das plantas. As vezes, plantas situadas lado a lado na colheita, são entortadas em direcções opostas dentro do mesmo fenómeno.

Uma característica deste fenómeno é que, quando entortadas, não é possível desentortá-las com o risco de quebrá-las, continuando o seu crescimento, rasteiro ao chão.
Duas organizações têm vindo a fazer estudos do solo dos círculos. Elas são o Center for Crop Circles Studies in England e uma organização conhecida como ADAS Ltd., trabalhando com o Ministério da Agricultura Inglês. Uma das coisas que eles descobriram é que os solos adquirem uma quantidade anormal de hidrogênio após cada formação. O único modo desta quantidade de hidrogênio aparecer assim seria se o solo recebesse uma carga eléctrica extremamente forte.

Descobertas Significativas

Sabe-se hoje que cerca de 90% dos círculos genuínos surgem quase sempre nas mesmas áreas, ano após ano, e invariavelmente sobre ou muito perto de sítios arqueológicos de milhares de anos de idade.

Estes sítios arqueológicos às vezes estão enterrados e os estudiosos só se dão conta de que existem um determinado lugar quando surgem círculos lá…

Um factor interessante a se notar é que um certo número de círculos têm aparecido perto de centrais nucleares, o que nos leva a crer que os responsáveis pelos círculos estão preocupados com a nossa loucura nuclear.

Outro factor é que algumas pessoas dizem ter sido afectadas depois de terem pisado dentro de uma destas formações. Alguns estudiosos comprovam estas histórias, como o Dr. Collete M. Dowell. Ele, como outras pessoas, diz que em algumas formações que entrou, sentiu-se extremamente ansioso ou agitado. Em outras, sentiu-se felicidade e outras emoções.

Conclusões

Pelo menos em uma coisa os estudiosos já se entendem: os círculos tem obrigatoriamente um componente não terrestre. Ou seja: não são construidos pela inteligência humana.

Esta conclusão é sustentada pelo facto de que muitas testemunhas como fazendeiros, estudiosos e curiosos acampados nos locais durante o auge do aparecimento dos circulos, veêm com certa frequência luzes não identificadas a sobrevoarem as colheitas pouco antes dos círculos terem sido descobertos. Em alguns casos, certas bolas de luz foram até filmadas e fotografadas, embora com baixa qualidade.

De qualquer forma, o fenómeno dos “círculos ingleses” continua no reino das suposições.

http://www.youtube.com/watch?v=MX02nqdpbfY&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=mOlNWvV6wE8&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=jg91dCezpl8&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=qFkZtfnM6TA&feature=player_embedded
http://www.youtube.com/watch?v=0Hm5Vir55v4&feature=player_embedded

9 Comentários »

  1. Então, é isso… Inteligências não-humanas viajam dos confins do espaço, para amassar trigo, cânola e cevada… Gostei do “uma certa forma de energia desconhecida ou não catalogada pela Ciência actual” (se é desconhecida, então como foi identificada como um tipo de energia?).
    Penso que, ao invés de todos acreditarem cegamente que estas figuras não podem ser feitas por seres humanos, alguns humanos poderiam ao menos se dar ao trabalho de tentar reproduzí-las.
    Entretanto, se eu estiver errado, pelo menos acho que entendi a mensagem das tais “inteligencias não-humanas”: Eles não tem nenhuma imaginação.

    Comentário por Wylli Wonka da Fantástica Fábrica de Idiotas — 05/04/2012 @ 20:06 | Responder

    • Olá Wylli,

      Bueno, se tu achas que todos os crop circles foram feitos por seres deste planeta, respeito, e muito, sua opinião.

      abs.

      Comentário por vitoralbertoklein — 05/04/2012 @ 20:17 | Responder

  2. Vitor, apenas pela sua resposta arrisco-me a deduzir que você é um homem culto e muito bem-educado. Por causa disso, lamento muito pelo tom irônico de meu comentário anterior. Peço desculpas.
    Devo esclarecer que não penso realmente que uma pessoa seja tola por acreditar em coisas não-comprovadas. Mas, sinto um grande incômodo com a falta generalizada de interesse, por parte das pessoas, da possibilidade de origem humana de muitas coisas aceitas prematuramente como sobrenaturais ou inexplicáveis.
    No caso dos círculos, por exemplo, nunca vi alguém ter notado que os mesmos começaram com formas muito simples, e que foram se tornando mais sofisticadas com o passar do tempo. Isso parece muito com o aprimoramento que ocorre em qualquer atividade humana que é exercida repetidamente.
    Admito que, quando nos deparamos com as formas elaboradas, é difícil não sentir espanto. Mas, temos contato com tantas coisas extremamente complexas, criadas por nós mesmos, que não nos causa espanto apenas porque convivemos com elas.
    O que estou dizendo é que, quando olhamos para os círculos, não deveríamos nunca nos esquecer de que estamos olhando para um produto acabado. Pessoalmente, acho que o processo de construção de tais objetos não exija nada de que não dispomos atualmente.

    Mais uma vez, lamento por antes. E parabéns pela maturidade e cordialidade.

    Comentário por Wylli Wonka da Fantástica Fábrica de Impulsividade Lamentável — 05/04/2012 @ 21:33 | Responder

  3. Olá, Vitor.

    Estou lendo e refletindo sobre as ideias expostas em seu blog. Certamente, quando terminar, terei muitas perguntas.

    O único ponto em que realmente discordo a princípio é sobre o ceticismo. Eu o vejo como uma ferramenta verdadeiramente útil para a análise de ideias e afirmações. Claro, desde que seja utilizado com o máximo de imparcialidade possível. Mesmo sem desejar impor nada a ninguém, penso que todos sejamos céticos. O que muda
    sempre são os objetos aos quais nosso ceticismo costuma ser aplicado.

    Na busca de mais conhecimento, minha maior preocupação sempre é com a verdade. Penso que haja pelo menos uma resposta verdadeira para cada pergunta. Mas, penso que tal resposta nem sempre estará acessível (por diversas razões). Assim, tento empregar o ceticismo para chegar até a resposta verdadeira, ou, ao menos, o mais próximo possível dela. Procuro ainda ter atenção redobrada quando a resposta envolva algo que me agrade.

    Bem, neste momento, tenho apenas uma pergunta: Que critério(s) você costuma empregar para apoiar ou rejeitar uma ideia?

    O propósito desta pergunta é ter um referencial externo para refletir sobre meus próprios critérios. Pelo que li de seu blog, posso afirmar que você é sincero em
    relação às suas ideias.

    Desde já, obrigado.

    Em tempo, sobre o video, ficaria com as 3 hipóteses, da seguinte maneira: 1ª) 57%, 2ª) 42,5 e 3ª) 0,5%. Hoje, infelizmente, as possibilidades de produção e/ou edição em um vídeo são impressionantes. É praticamento impossível determinar se uma imagem é fraudulenta, caso o trabalho tenha sido bem-feito. A não ser, é claro, que o autor confesse.

    Comentário por Wylli Wonka da Fantástica Fábrica de Curiosidade — 07/04/2012 @ 18:15 | Responder

    • Olá Wylli,

      Em meus posts sempre busco ser o mais imparcial possível.
      Na realidade este blog trata-se muito mais de uma “replica” de artigos postados nas mais diversas fontes: sites, blogs e etc (e eu os posto por julgar importante sua divulgação) do que propriamente artigos de minha autoria, bem, já deves ter percebido isso.
      Outro aspecto importante: sempre divulgo a fonte do artigo postado.
      Cabe a cada um considerar relevante ou não a informação.
      Em alguns posts me sinto na obrigação de expôr minha opinião pessoal a respeito, assim, exponho um comentário.
      Qual o critério que eu utilizo para apoiar ou rejeitar uma idéia ? Bem, eu responderia que seja a minha consciência, a minha percepção íntima a respeito da questão. A consciência nos remete à alma e esta ao Ser que denominamos de Deus. Obviamente que muito me utilizo do recurso da Razão, sem impedir a expressão da Intuição.
      Como possuo conexão com várias fontes na Internet, me são disponibilizados artigos das mais diversas ordens, e óbvio que filtro muita coisa, pois existem assuntos que não considero conveniente sua publicação, por mais interessantes e importantes que eu os considere, mas acredito que muitas pessoas não estejam preparadas para isso, e procuro eximir meu blog de assuntos desta natureza. Neste aspecto sou muito responsável !
      Certamente existe muito besteirol, meu Deus….mas o “filtro pessoal” trata-se do maior juiz.
      Existe muita informação (verídica, comprovada, racional) a que tenho acesso, mas que com certeza jamais publicarei em meu blog.

      Grande abraço e obrigado pela disponibilidade na discussão.

      Quanto ao video, pois é, concordo com sua opinião também.

      Comentário por vitoralbertoklein — 07/04/2012 @ 19:09 | Responder

  4. Sinceramente não consigo achar informação séria e isenta sobre esse assunto. gostaria realmente de se alguém souber de alguma investigação real, cética e sem interesses ‘outros’ já atriuindo o fenomeno a ETs que me postem os links,
    acho assustador o nível de obscurantismo que ainda existe e persiste na nossa sociedade moderna, exemplo é esse assunto que no google não aparece sem a associação com ETs.

    Comentário por Gregor Mendes — 09/11/2013 @ 19:36 | Responder

    • Olá Gregor, grato pelo seu comentário.

      Em muitos casos relacionados a UFO’s, ET’s eu sou tão cético quanto você, pois sabemos que mais de 95% do que é postado na internet sobre este assunto, é falso, e mesmo em relação aos Crop Circles existem muitas FRAUDES já comprovadas, mas particularmente, sobre este assunto, tenho absoluta certeza de que não é de origem humana, ou melhor, originada deste planeta. Em outros posts sobre este assunto neste blog existe referência a um link de pesquisa profunda e séria sobre o tema.

      Abraços

      Comentário por vitoralbertoklein — 10/11/2013 @ 9:17 | Responder

  5. Só depois que a verdade for descoberta é que se pode falar a respeito. Antes, somos todos ignorantes sobre o tema. Quem se coloca de um lado ou de outro tem interesses sobre sua posição. Os religiosos, principalmente, os mais fanáticos, jamais vão acreditar que são seres de outros planetas. Nem poderia, porque muitos teriam anos de vida perdidos em razão da fé.

    Comentário por Cândido Silva — 26/06/2016 @ 17:10 | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: